Lionel Messi arrisca uma suspensão por parte da CONMEBOL que poderá ir até aos dois anos, na sequência das acusações de corrupção efetuadas após o jogo contra o Chile, no qual foi expulso.

Quando explicava o porquê de não ter comparecido na entrega das medalhas de terceiro classificado, o argentino disse o seguinte: "Não temos de fazer parte desta corrupção, desta falta de respeito de toda a Copa América. Estávamos a mais. A corrupção, os árbitros e tudo isto não permite que as pessoas participem no futebol."

Ora tal castigo impossibilitaria Messi de jogar as eliminatórias de apuramento para o Mundial'2022, a realizar-se no Qatar, e a Copa América de 2020, que vai jogar-se na Argentina e na Colômbia.

De referir que o presidente da Federação Argentina, Claudio Tapia, recusou-se até a comentar o sucedido na zona mista por essa mesma razão. "Não posso falar porque me podem castigar por dois anos", lembrou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.