O Palmeiras está na final da Taça Libertadores da América pela quinta vez, depois de afastar o River Plate da Argentina. A equipa treinada pelo português Abel Ferreira fez-se valer do resultado da primeira-mão (3-0) para passar já que, na madrugada desta quarta-feira, levou um 'banho de bola' em casa e perdeu por 2-0.

O central paraguaio Robert Rojas abriu o marcador para os argentinos aos 29 minutos, num remate de cabeça após canto. O 2-0 foi do colombiano Rafael Santos Borré, de cabeça, aos 44 minutos.

No segundo tempo o River Plate operou a reviravolta mas o VAR e o árbitro do encontro anularam um golo a Gonzalo Montiel, por fora de jogo de Santos Borré. No entanto a bola chegou ao atacante vindo de um jogador do Palmeiras, pelo que o golo não deveria ser anulado.

O árbitro  Esteban Ostojich do Uruguai esteve no centro das atenções. Assinalou uma grande penalidade a favor do River Plate mas, alertado pelo VAR, foi rever a jogada e voltou atrás na decisão.

Antes, tinha expulso o central Robert Rojas com duplo amarelo, após agarrar um adversário.

O Palmeiras sentiu inúmeras dificuldades, principalmente no primeiro tempo. O River Plate criou várias oportunidades mas apenas conseguiu dois golos. O guarda-redes Weverton foi o melhor do conjunto brasileiro.

O conjunto brasileiro, que ganhou a prova pela única vez em 1999, sob o comando do ex-selecionador português Luiz Felipe Scolari e foi finalista vencido em 1961, 1968 e 2000, vai defrontar na final o vencedor da eliminatória entre Santos e Boca Juniors, em 30 de janeiro, no Maracanã, no Rio de Janeiro.

Santos e Boca Juniors decidem esta quarta-feira, no Estádio Vila Belmiro, em Santos, o segundo finalista, na segunda mão das meias-finais, depois do empate a zero no La Bombonera, em Buenos Aires.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.