Depois de ter perdido a final da 'Champions' frente ao Real Madrid de Pepe e Cristiano Ronaldo, o avançado quer agora vencer o Campeonato da Europa com a França e avançar assim a passos largos para uma candidatura à Bola de Ouro.

Melhor marcador do Europeu até ao momento com 6 golos e grande figura dos "les Bleu", uma das estratégias da seleção portuguesa para a final de Paris passa certamente anular Antoine Griezmann.

"Griezmann não é um solista e mostra-se sempre", a frase é do seu técnico Didier Deschamps e foi proferida este sábado na conferência de imprensa do selecionador francês de antevisão à partida com Portugal. Deschamps sabe do que fala, o seu jogador é capaz de mudar um jogo de um momento para o outro.

Mas a sua ascensão apesar de meteórica não teve um trilho fácil. Com apenas 1,71 de altura, este pequeno grande jogador, só pela sua morfologia não estaria destinado a grandes voos no futebol moderno, mais físico e com uma maior componente táctica, mas o destino trocou-lhe as voltas e é hoje a principal figura do futebol gaulês.

Antoine Griezmann nasceu há 25 anos e Lopes, o seu nome do meio, não engana. O avô é português. A infância e os primeiros toques na bola tiveram lugar em Mâcon (localidade próxima de Lyon) no clube da terra. Jeito para a bola não lhe faltava, mas o facto de ser franzino parecia querer desviá-lo da carreira de futebolista. Levou várias 'negas', mas não baixou os braços, muito pelo contrário.

O futebol estava-lhe nos genes. Amaro Lopes, avô de Griezmann, deu cartas no Paços de Ferreira antes de fazer malas e bagagens e rumar a terras gaulesas, à

semelhança de muitos portugueses na época. A capital do móvel certamente estará na memória do agora avançado que chegou lá a passar 'o seu querido mês de agosto'.

Antoine perseguia o sonho de ser profissional da bola e seguir as pisadas do seu ídolo Pavel Nedved. Começou aos poucos a despertar a cobiça de alguns gigantes franceses. Foi testado num torneio de escolinhas, mas acabou rejeitado por Montpellier, PSG e Lyon.

As oportunidade escasseavam a Griezmann, mas acabou por chamar a atenção da Real Sociedad, que o recrutou para as suas camadas jovens aos 13 anos em 2005. Paulatinamente foi-se afirmando no emblema basco e começou a ser chamado às seleções jovens de França.

Em 2010, a França ganhou o jogo do destino e Portugal perdeu. Nesse ano uma noitada durante um estágio dos gauleses valeu-lhe uma suspensão de dois anos. O extremo chegou a equacionar representar a seleção das 'quinas', mas acabou por mudar de ideias. Sorte para a França que assim garantiu para a sua equipa nacional um dos jogadores mais talentosos da sua geração. Ao invés disso, Portugal deixou de poder contar com um avançado portentoso.

No ano de 2014 mudou-se para o Atlético de Madrid de Diego Simeone a troco de 30 milhões de euros e afirmou-se definitivamente com um dos melhores

extremos a nível mundial. Dono de um pé esquerdo fabuloso, finalizador exímio e tecnicamente dotado, Griezmann é com seis golos o melhor marcador do

Campeonato da Europa. Foi à conta do esquerdino, com dois golos apontados que a França despachou a Campeã do Mundo Alemanha.

O jogador quer agora vencer o Campeonato da Europa, depois de ter perdido a final da Champions com o emblema colchonero frente ao Real Madrid de Cristiano Ronaldo e Pepe.

Ele e Cristiano Ronaldo vão discutir em luta acesa, na final de Paris, o título de melhor jogador do Euro 2016 e quem sabe do Mundo. Se a França vencer e

Griezmann for o melhor marcador da competição é certamente um candidato forte à Bola de Ouro. A equipa de Fernando Santos que se cuide, porque se lhe derem espaços, Antoine poderá fazer certamente estragos na baliza portuguesa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.