Portugal conquistou o título de campeão da Europa, mas partiu para França sem ser favorito à conquista do troféu, de acordo com a entrevista de Éder ao jornal ‘A Bola’.

“Durante a qualificação ele já passara a mensagem de que iriamos estar na fase final. Ficámos logo com fé de que era possível ganhar o Euro. Fomos para França com a noção de que não éramos favoritos, mas que era possível ganhar a prova. A frase dele entrou na nossa cabeça. Sempre que ele dizia que só voltava dia 11, aquilo ecoava nos nossos cérebros”.

Sobre a receção que teve quando chegou a Portugal com a Taça, Éder afirmou que esteve durante dias sem a noção daquilo que fez em Paris. O momento do golo e a conquista estavam presentes, mas sem saber a importância que teve na história do futebol português.

“As imagens dos festejos são lindas e inesquecíveis. Só agora, nos últimos dias, depois do que aconteceu, a emoção continuou e mesmo quando chegamos ao centro de estágio, toda a gente dizia: ainda não temos noção do que fizemos . E assim foi. Quando chegámos a Portugal, no dia seguinte à final, começámos a perceber que tínhamos feito algo grande. Mas só mesmo nos últimos dias e, se calhar, nas próximas semanas é que teremos noção exata do que fizemos”.

Relembre-se de que a equipa portuguesa foi recebida em apoteose quando regressou a Portugal. Milhares de pessoas esperaram os campeões da Europa no aeroporto e o apoio da nação portuguesa manteve-se durante o passeio da consagração pela capital.

O momento alto esteve na chegada à Alameda quando milhares de pessoas estiveram horas à espera para felicitar os jogadores. Pelo meio, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, recebeu a comitiva portuguesa em Belém.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.