O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, elogiou hoje a camisola da seleção de futebol do seu país para o Euro2020, que realça “símbolos importantes” como a Crimeia, anexada pela Rússia, e slogans patrióticas.

"A nova camisa da equipa de futebol ucraniana é realmente diferente de todas as outras. Pode ser chocante. Apresenta vários símbolos importantes que unem os ucranianos”, escreveu Zelensky no Instagram, em resposta às críticas da Rússia, e postando uma foto na qual posa com essa camisa.

Hoje, a Federação de Futebol da Rússia (RSF) revelou ter enviado uma carta à UEFA a denunciar o novo equipamento da seleção ucraniana.

A RSF queixa-se não só da imagem com o mapa das fronteiras oficiais do país – incluindo a Crimeia, que a Rússia anexou em 2014, bem como os territórios do Leste, controlados por separatistas pró-russos -, mas também da utilização de frases patrióticas usadas pelos vizinhos na II Guerra Mundial, precisamente contra as tropas soviéticas.

Também estão na camisola as polémicas frases "Glória á Ucrânia!" e "Glória aos Heróis", retiradas de um cântico patriótico e celebrizadas por serem gritadas no levantamento popular da praça Maidan, em 2014, que levou à queda do presidente Viktor Ianukovitch, próximo do regime do Kremlin.

A RFS entende que “o futebol deve manter-se fora da política” e teme que a UEFA esteja a “criar um precedente” para que no futuro outros países “utilizem o equipamento para fins políticos”.

Ucrânia e Rússia competem no Euro2020, integrando respetivamente o grupo C e o grupo B. Tendo em conta o conflito entre ambos, a UEFA proibiu que equipas dos dois países se enfrentem nas competições europeias.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.