Foi preciso recorrer às grandes penalidades para encontrar o primeiro finalista do Euro2020. Da marca dos 9,15 metros, a Itália vingou a derrota sofrida na final do Euro2012 frente a Espanha e afastou Nuestros Hermanos.

Veja o resumo do jogo!

Depois de 1-1 nos 120 minutos, o jogo foi decidido nos penáltis: a Espanha falhou por Dani Olmo e Morata, a Itália por Locatelli. Os italianos venceram por 4-2 nos penáltis e vão defrontar o vencedor do Dinamarca-Inglaterra na final, marcada para domingo, em Wembley.

Veja as melhores imagens do jogo!

Duelo de candidatos num reencontro com a história

Em campo, duas das mais fortes seleções europeias: a Itália, quatro vezes campeã mundial (1934, 1938, 1982 e 2006) e uma europeia (1968), e a Espanha uma vez campeã mundial (2010) e três vezes europeia (1964, 2008 e 2012). No frente-a-frente entre as duas seleções existia uma igualdade em 35 jogos, com 10 vitórias para cada uma e 15 empates, com os últimos duelos a datarem de 2016 e 2017, na fase de apuramento para o Mundial2018. Este é o jogo mais jogado da história dos europeus de futebol (sete jogos entre italianos e espanhóis).

No duelo mais esperado das meias-finais, o selecionador espanhol Luis Enrique surpreendeu o seu colega Roberto Mancini ao atuar sem uma referência no ataque, tal como a Espanha fez quando venceu o Euro2012... frente a Itália. Daniel Olmo era o 'falso 9' na seleção espanhola, algo que retirava referência aos centrais italianos e permitia à La Roja igualar a linha de três do meio-campo italiano, onde se viu uma luta entre Jorginho, Verratti e Barella, contra Busquets, Koke e Pedri.

Saiba tudo sobre o Euro2020: fotos, vídeos, infografias, notícias e reportagens

Luis Enrique deixou ainda Morata no banco e também não pode contar com o lesionado Sarabia. Além de Morata e Sarabia, o selecionador espanhol deixou Pau Torres no banco e lançou Èric García, Dani Olmo e Oyarzabal. No lado italiano, o lesionado Leonardo Spinazzola foi substituído no onze por Emerson, lateral esquerdo italo-brasileiro.

Além de um lugar na final, a Itália queria manter a sua invencibilidade a nível internacional: 32 jogos sem perder (última derrota foi contra Portugal, em 2018, para a Liga das Nações).

Itália a ultrapassar pela esquerda, Espanha com paciência

Com o 'falso 9' e um meio-campo mais preenchido, a Espanha ganhou a batalha na zona central e deixou a Itália a apostar no contra-ataque. Foi assim que logo aos quatro minutos, Emerson lançou Barella para um remate ao poste. O médio estava, no entanto, em fora de jogo.

Mesmo com mais bola, a Espanha tinha dificuldades em entrar no último reduto italiano, uma equipa que só sofreu dois golos neste Euro2020 e todos na sequência de bolas paradas.

A velocidade e capacidade dos homens da frente da Itália ia causando calafrios à defensiva de Nuestros Hermanos. Aos 21 minutos, Emerson foi lançado por Insigne na esquerda, Unai Simon saiu da baliza, mas não ficou com a bola. Immobile recebeu e deu em Barella que perdeu tempo na hora de rematar e foi desarmado. Respondeu de seguida a Espanha, com uma grande oportunidade desperdiçada por Dani Olmo. Donnarumma fez uma má reposição de bola, Busquets meteu logo em Olmo que rematou para grande defesa do guarda-redes italiano.

A Itália privilegiava o lado esquerdo, onde Emerson ia dando cartas. Foi dali que correu com a bola, fletiu para o meio e perdeu-se em fintas, num lance promissor da Itália, aos 37. Aos 45, combinou com Insigne e disparou forte, à barra'.

No regresso após o intervalo, a Espanha voltou melhor e teve Busquets a dar o primeiro sinal num remate de fora da área que falhou o alvo por pouco.

Espanha no ataque e... golo da Itália

Meias-finais Euro2020: Itália-Espanha
O remate de Federico Chiesa para o 1-0 créditos: EPA/Facundo Arrizabalaga

Depois é Oyarzabal a rematar forte, para defesa segura de Donnarumma. No lance vai nascer o golo da Itália, aos 60 minutos: o guardião soltou rápido para Jorginho que meteu na frente em Chiesa, este meteu em Immobile que estava entre os centrais espanhóis. Laporte ainda fez um corte, mas a bola foi ter com Chiesa que recebeu, fletiu para o meio e rematou colocado, com Unai Simon a ficar pregado no relvado.

Aproveitou Luis Enrique para trocar Ferrán Torres por Morata, Roberto Mancini fez entrar Berardi e tirou Immobile. O jogo ganhou animação, com o perigo a rondar as duas balizas. Aos 65 minutos, Oyarzabal falhou o desvio de cabeça por muito pouco, a centro de Koke. No minuto seguinte é Berardi a falhar pela Itália, num remate forte que Unai Simon defendeu com as pernas.

Os treinadores queriam mais e Luis Enrique fez entrar Rodri e Gerard Moreno nos postos de Koke e Mikel Oyarzabal. Mancini trocou o lateral Emerson pelo central Tolói, outro italo-brasileiro, e Verratti por Pessina.

Morata, que tinha entrado com muita vontade, empatou o encontro aos 80 minutos, após bela combinação com Dani Olmo. O avançado, companheiro de Cristiano Ronaldo na Juventus, recebeu de pé direito e rematou colocado de pé esquerdo, enganando Donnarumma.

Euro2020: Itália-Espanha
Euro2020: Itália-Espanha - O empate, por Morata créditos: Lusa

Locatelli e Belotti foram as últimas apostas de Mancini para tentar resolver o jogo no tempo regulamentar. Respondeu o selecionador espanhol, que meteu Marcos Llorente no posto de Azpilicueta mas, até aos 90 minutos, não se viu mais golos em Wembley.

Terceiro prolongamento seguido Espanha e ... tudo decidido nos penáltis

Foi preciso recorrer ao tempo extra e aí a vantagem era italiana já que a Espanha tinha estado no prolongamento nos oitavos de final frente a Croácia e nos 'quartos' ante a Suíça. Na teoria, seria a Espanha a sentir mais o cansaço.
No primeiro tempo do prolongamento, esteve melhor a Espanha, que quase fazia o 2-1 num livre de Olmo que Donnarumma defendeu para a frente, aos 98.

Depois de muitos ressaltos, a bola saiu para a linha de fundo. Respondeu a Itália na segunda parte do tempo extra e Berardi até chegou a colocar a bola no fundo das redes de Unai Simon, mas estava em posição irregular.

Sem golos nos 30 minutos, o jogo teve de ser decidido a partir da marca de grandes penalidades, a segunda consecutiva para a Espanha (eliminou a Suíça com 5-3 nos quartos de final).  Da marca dos 9,15 metros, falharam Dani Olmo e Morata pela Espanha e Locatelli pela Itália.

Os italianos, campeões em 1968 e ‘vices’ em 2000 e 2012, venceram por 4-2 nos penáltis e vão defrontar o vencedor do embate de quarta-feira entre Inglaterra, que nunca chegou a uma final, e Dinamarca, campeã europeia em 1992.

Veja o resumo do jogo!

Saiba tudo sobre o Euro2020: fotos, vídeos, infografias, notícias e reportagens

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.