Portugal recebe esta sexta-feira no Estádio do Dragão, a partir das 19h45, a Eslováquia, em mais uma partida da fase de qualificação para o EURO'2024, na qual a seleção nacional pode garantir desde já o apuramento para a fase final da prova.

Bruno Fernandes foi o jogador escolhido para estar, ao lado do selecionador nacional, Roberto Martinez, na conferência de imprensa de antevisão ao encontro e o médio do Manchester United falou não só da partida com os eslovacos, mas também da campanha de qualificação perfeita realizada por Portugal até agora.

Portugal com registo perfeito até ao momento: "É reflexo do trabalho que temos feito e que se tem refletido nos jogos. A maneira como defendemos, como nos ajudamos, como trabalhamos durante a semana para defendermos da maneira como o treinador acha mais adequada. E depois daí vem a qualidade dos jogadores que executam dentro de campo."

O que espera da Eslováquia: "Esta seleção está preparada para defrontar qualquer adversário. Como já disse, não tememos ninguém e respeitamos toda a gente. Sabemos aquilo que podemos fazer, o que podemos causar, respeitando sempre os adversários. E digo já que todos os adversários que tivemos neste grupo no 'papel' não são tão fortes mas dentro de campo somos onze contra onze. O futebol dá-nos muitas surpresas... cabe-nos fazer o melhor possível. Só os nomes das camisolas ou o símbolo não fazem isso sozinhos. A Eslováquia é uma seleção muito intensa, com jogadores com muita qualidade com bola. Sem bola são muito organizados. Taticamente, é muito difícil penetrar nos espaços interiores, algo que na seleção utilizamos muito. Foi uma das dificuldades que tivemos lá. É uma seleção que nos pode causar problemas no contra-ataque e na saída de bola."

Grande momento de Bruno Fernandes na seleção: "Não olho muito a isso. É sempre bom, fico lisonjeado quando ouço elogios, mas não gosto muito de olhar para isso porque os mesmos que dão elogios são os que te criticam a seguir. O meu objetivo é ajudar a equipa da melhor maneira possível, seja com golos, assistências, exibições ou estar apenas de fora a apoiar."

Sonha estar no Mundial 2030?: "Não penso nisso. O lugar na seleção é muito 'caro'. À medida que vejo o tempo a passar, cada vez mais os clubes apostam mais nas camadas jovens, a terem condições para apostar nas camadas jovens, a terem mais condições para os formar. Nessa altura o lugar ainda vai estar mais caro. Se ainda estiver na seleção e num nível que o mínimo aceitável para estar na seleção espero aqui estar, porque representar a tua seleção no teu país é algo especial. Espero estar presente."

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.