A UEFA condenou hoje a Bulgária a dois jogos à 'porta fechada', depois do comportamento racista dos seus adeptos na recepção à Inglaterra, no encontro de qualificação para o Euro2020, que acabou em goleada por 0-6 da Inglaterra.

Durante a partida os adeptos búlgaros entoaram cânticos racistas dirigidos aos jogadores ingleses de origem africana, como Rashford, Mings e Sterling. Foram também vistas saudações nazi nas bancadas.

O organismo que supervisiona o futebol europeu condenou a Bulgária a um jogo à porta fechada, pena a cumprir já na recepção à República Checa, no próximo dia 17 de novembro.

O segundo jogo à porta fechada fica suspenso durante dois anos, sendo que será aplicado caso comportamentos semelhantes voltem a acontecer.

Além dos jogos à porta fechada, a Federação Búlgara terá de exibir uma faixa com a inscrição "Não ao racismo" nos próximos dois jogos da equipa em casa, bem como pagar duas multas que totalizam 85 mil euros: uma de 75 mil euros pelos insultos racistas e outra de 10 mil euros por distúrbios causados durante os hinos nacionais.

A Bulgária recebeu ainda um aviso em relação às repetições de lances nos ecrãs do estádio.

De recordar que este episódio levou à demissão não só do presidente da federação búlgara, mas tambem do selecionador nacional da Bulgária, além de merecer a condenação do primeiro-ministro britânico.

*Artigo atualizado às 15h57

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.