O futebolista Florentino Luís projetou hoje uma Suíça “intensa e competitiva” no encontro de quarta-feira perante a seleção portuguesa de sub-21, da terceira e última jornadado grupo D do Europeu da categoria.

“Qualquer equipa chegou aqui porque tem muito talento e qualidade. Se a Suíça derrotou França [na fase de qualificação] e Inglaterra [na fase de grupos], é porque tem uma boa equipa. São jogos que nós gostamos. Vamos precaver-nos disso e dar o nosso melhor, como nos últimos dois jogos”, assumiu o médio, em videoconferência.

Líderes isolados do grupo D, com seis pontos, graças aos triunfos sobre Croácia (1-0) e Inglaterra (2-0), os lusos defrontam a Suíça na quarta-feira, às 18:00 locais (17:00 em Lisboa), no Estádio Stozice, em Ljubljana, com arbitragem do sueco Glenn Nyberg.

“Será um jogo competitivo e entraremos com o mesmo objetivo de ganhar três pontos. Sabemos que há três resultados possíveis para a nossa passagem à fase seguinte, mas, na nossa mente, só está a vitória. Vamo-nos preparar da melhor maneira para entrar focados. Todas as equipas estão em jogo e isto será até ao último minuto”, defendeu.

Um empate garante a vitória na ‘poule’ e a entrada na próxima fase, que também poderá ser confirmada com uma derrota por um golo frente aos helvéticos, exceto 1-0 ou 2-1, ou se a Croácia não derrotar a Inglaterra à mesma hora, em Koper, também na Eslovénia.

“Perigoso era se tivéssemos menos pontos. Estamos confortáveis e focados da mesma maneira. A equipa não vai entrar relaxada, mas com o objetivo dos três pontos. Candidatos ao título? Os portugueses podem sonhar com a nossa prestação, mas o caminho é, como sempre, feito passo a passo. Esse vai ser o nosso segredo”, admitiu.

Florentino Luís, de 21 anos, justifica o arranque vitorioso de Portugal com um grupo de jogadores “muito unido e coeso dentro e fora de campo”, que partilha com Espanha e Dinamarca um registo nulo de golos sofridos antes da última ronda da primeira fase.

“Creio que vem muito do nosso empenho. Este grupo já está junto há muito tempo, sobretudo desde os sub-15. Vão entrando e saindo jogadores, mas a ideia de jogo está sempre lá e passa por dar tudo por este país. Quando entramos em campo, o objetivo é defender e atacar todos juntos”, sublinhou o centrocampista dos franceses do Mónaco.

Numa equipa “definida pela posse de bola” e com “muita qualidade” em cada setor, o “tema de conversa” é “aproveitar esta oportunidade”, já que “não é todos os dias que jovens jogadores têm a chance de representar a nação numa competição tão grande”.

“Tenho aqui uma oportunidade de mostrar o meu melhor. Estou focado na seleção, a aproveitar ao máximo os minutos que posso ter e a preparar-me o melhor física e psicologicamente para este jogo difícil. Quando chegar ao clube será outra história”, ressalvou Florentino Luís, formado no Benfica e cedido pelas ‘águias’ ao Mónaco.

Apesar de ter admitido que os títulos europeus de sub-17, em 2016, e sub-19, em 2018, “foram muito bons”, o médio lembrou que “a história é passado” e “quer sempre mais”, numa altura em que já contabiliza dois jogos a titular pela formação de Rui Jorge.

“Estou bem fisicamente e pronto para dar o meu contributo, seja no banco ou em campo. Saída ao intervalo no jogo com a Inglaterra? São opções técnicas e há colegas meus que podem dar mais ao jogo do que estou a dar. Graças a Deus, saí e ganhámos. Às vezes, o jogo tem de ser adaptado ao adversário e há uma equipa acima de nós”, finalizou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.