O médio Raphael Guzzo disse hoje que se sente "um privilegiado" por estar ao serviço da seleção portuguesa de futebol de sub-21, que defronta na sexta-feira a Hungria, na segunda jornada do apuramento para o Europeu de 2017.

Em declarações ao site da Federação Portuguesa de Futebol, no decorrer do estágio que a equipa está a fazer em Rio Maior, o jogador - emprestado pelo Benfica ao Tondela e que se estreou pelos sub-21 em agosto, frente à Albânia - explicou que trabalha sempre para merecer a confiança dos técnicos e quer "aproveitar esta oportunidade da melhor forma".

"Senti-me acima de tudo muito contente. Parecia a primeira vez que tinha entrado em campo pela seleção", afirmou o jogador, que, além da internacionalização pelos sub-21, soma mais 60 (11 nos sub-16, 12 nos sub-17, oito nos sub-18, 20 nos sub-19 e nove nos sub-20).

Raphael Guzzo considera que o lote de jogadores à disposição do selecionador Rui Jorge tem muita qualidade e que Portugal tem todas as condições para garantir o apuramento para o Europeu de 2017, na Polónia.

"Entramos em todos os jogos para ganhar e penso que estes dois jogos [Hungria e Grécia] não são exceção", afirmou o jogador, acrescentando que Portugal tem "jogadores de muita qualidade, o que é sinal que a formação está a trabalhar bem".

Para o médio, os húngaros "vão fazer o máximo possível” para complicar a tarefa de Portugal, mas a seleção terá a missão de “descomplicar”.

O jogo de Portugal contra a Hungria está marcado para sexta-feira, 09 de outubro, às 17h15, no Estádio Municipal 25 de Abril, em Penafiel, e será dirigido por Neil Doyle.

O árbitro irlandês será auxiliado pelos seus compatriotas Wayne McDonnell, Kenneth Hennessy (árbitros assistentes) e James McKell (quarto árbitro).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.