O futebol feminino é uma das modalidades que mais rápido se tem expandido em Portugal. Na área do desporto, o crescimento é feito a ritmo acelerado e o número de jogadoras federadas em 2017 aumentou 35,1% sendo o maior registo da década como a Federação Portuguesa de Futebol revelou no final de 2017.

A época passada ficou marcada pela introdução das equipas de futebol feminino de Sporting e SC Braga, que ganharam lugar de destaque entre as formações mais fortes em prova. No entanto, a tradição do futebol feminino situa-se em Benfica, na casa do Clube Futebol Benfica.

Fundado em 1895, o Clube Futebol Benfica é um dos mais antigos em Portugal. A modalidade de futebol feminino foi criada há 24 anos sendo, a par do Boavista, a formação mais antiga ainda em atividade neste escalão. A introdução de um desporto jogado por mulheres foi um 'corpo estranho' na sociedade que exista em Portugal há mais de duas décadas. Ao SAPO Desporto, Domingos Estanislau, presidente do clube há mais de 30 anos, recorda os tempos em que os adeptos e os homens em geral afirmavam que o lugar das mulheres não era nos relvados, mas sim em casa.

FPF destaca crescimento do futebol e futsal feminino
FPF destaca crescimento do futebol e futsal feminino
Ver artigo

" A criação do futebol feminino foi uma ideia de um diretor que aqui esteve que se lembrou de arrancar com esse projeto. Na altura era muito difícil haver futebol feminino porque era um tempo em que se dizia para as raparigas irem para casa coser meias. Era natural na sociedade dessa altura. Agora não, a emancipação da mulher aconteceu e o futebol feminino é uma modalidade consolidada e acarinhada dentro do nosso clube, bem como pelos outros. O nosso projeto foi um grande desafio que aceitámos com ‘unhas e dentes", esclareceu o presidente do clube.

A equipa do Fofó, alcunha pela qual responde entre os adeptos mais novos, chegou à ribalta do futebol feminino cedo. Foi a primeira equipa lisboeta a alcançar um título em futebol feminino e cimentou a sua posição nos habituais candidatos a vencer provas.

As candidaturas passaram disso mesmo para títulos na temporada 2014/15 no arranque do período áureo da formação lisboeta. Nas duas épocas que seguiram, o Fofó conquistou duas 'dobradinhas' seguidas ao juntar a Taça de Portugal com o triunfo no campeonato. Pelo meio, venceram a primeira edição da Supertaça de Futebol feminino que, ainda hoje continua exposta no Estádio Francisco Lázaro, em Benfica.

Para Domingos Estanislau, a designação de período áurea está correta recordando todo o trabalho que foi feito para a equipa chegar à glória. O dirigente revelou ainda a premonição que tinha feito quatro anos antes das conquistas que marcaram o Futebol Benfica.

Futebol Benfica tinha no Valadares o maior rival
créditos: © 2016 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.

"Aqui no Futebol Benfica sentimos que contribuímos para o desenvolvimento da modalidade. Quatro anos antes de conquistarmos o primeiro título eu tinha dito à imprensa que, no espaço de quatro anos, o Clube Futebol Benfica iria ser campeão. Começámos a partir daí a criar bases para o sucesso e depois conquistámos títulos que ajudam a desenvolver o futebol feminino nacional. Esses dois anos [Duas 'dobradinhas'] foram o melhor momento do clube. Antes já tínhamos demonstrado qualidade e capacidade para mais, mas nesses anos [Da 'dobradinha'] ganhámos. Foi o melhor período do nosso futebol feminino".

Primeiro título com direito a festejos no Marquês de Pombal

A conquista do título por parte do Clube Futebol Benfica gerou uma onda de entusiasmo que se expandiu até à Praça Marquês de Pombal. Os festejos levaram alguns dos apoiantes mais ferrenhos bem como membros da equipa da fazerem a curta viagem para a emblemática praça lisboeta de modo a festejar um campeonato inédito.

Em Benfica, a celebração não se fez rogada com passagem pelas ruas a celebrar a conquista de um título que marca a história do futebol feminino no Clube Futebol Benfica. O 'Fofó' introduziu o seu nome na lista de equipas que marcaram o desenvolvimento da modalidade em Portugal. Mais de 100 pessoas estiveram no Marquês a celebrar o primeiro título

Andreia Silva, jogadora do clube esteve em ambos os títulos e explicou como se sentiu especial ao vencer tanto o campeonato como a Taça de Portugal com o Futebol Benfica. Apesar de já contar com títulos no currículo, a internacional por Portugal ressalvou os adversários que o Fofó teve pela frente que trouxeram mais 'sabor' aos triunfos.

Festejos no Marquês estão imortalizados
créditos: Inês Antunes

"Foi espetacular. O 'Fofó' nunca tinha ganho nada a este nível. Já tinha as suas finais no currículo, mas ainda não tinha o seu titulo. Esse grupo [Que conquistou a 'dobradinha'] já tinha muito conhecimento entre si e era um grupo muito unido. Foi uma situação espetacular vencer aqui. Ser campeã pelo 'Fofó' foi diferente porque ganhámos com um grupo que aliou na perfeição a juventude e a experiência de todas as jogadoras. Não foi fácil, foi um desafio constante porque enquanto equipa queremos sempre ganhar e tivemos adversários fortes que nos dificultaram a vida", revela em entrevista ao SAPO Desporto.

Porquê a alcunha 'Fofó' ?

Uma das marcas identificativas do Futebol Benfica é a alcunha que é dada à equipa. O nome 'Fofó' pode parecer fora do comum, mas como tudo na vida tem uma história por trás. Neste caso, é preciso recuar no tempo até pouco depois do ano da fundação do clube. A designação que se espalhou para todas as 14 modalidades do clube teve início no hóquei em patins e num embate com o Sport Lisboa e Benfica.

Nos tempos em que havia, por força do hóquei, uma grande rivalidade com os 'encarnados', os jogos eram sempre preenchidos por uma vasta moldura humana. Num desses encontro, os adeptos do Futebol Benfica que havia vencido a partida, provocaram os adeptos do clube da Luz com uma resposta que mudou a história de um clube. Domingos Estanislau explicou, na primeira pessoa como surgiu a alcunha da equipa lisboeta.

Com o passar dos anos, o termo 'Fofó' passou de pejorativo a carinhoso. Atualmente, é utilizado pelos adeptos para descrever o clube sem qualquer das conotações negativas de antigamente. No futebol feminino a história não é diferente sendo mais as pessoas que conhecem o Fófó do que o Futebol Benfica embora, para os sócios mais velhos, continue a ser visto como um termo pejorativo.

A rivalidade com o Sport Lisboa e Benfica era sobretudo na modalidade de hóquei em patins

A ligação entre Clube Futebol Benfica e Sport Lisboa Benfica vai além da rivalidade. Domingos Estanislau revelou que já se verificaram 'trocas de identidade' entre ambos os clubes devido à semelhança do nome. Em cima da mesa está a história de Isabel, a adepta do Sport Lisboa em Benfica que, durante a administração de Jorge Brito na década de 90, na tentativa de falar com alguém do clube ligou, por engano, ao Clube Futebol Benfica. Após uma conversa com Estanislau, a apoiante continuava confusa e a insistir que estava a falar com o emblema certo. Um episódio de muitos como relata o dirigente que está no cargo há mais de 30 anos.

Quarto lugar é o objetivo para este ano

Do passado para o presente atual do clube, o Futebol Benfica está no sexto lugar do campeonato português de futebol feminino. Depois de um arranque negativo, a equipa orientada por António Marinho voltou aos eixos estando a cumprir uma segunda volta onde já soma mais sete pontos do que na primeira metade da época.

O objetivo para o que resta da temporada está bem definido. O técnico do 'Fofó esteve à conversa com o SAPO Desporto e explicou o que correu mal no arranque do campeonato. António Marinho está em ano de estreia tanto no Clube Futebol Benfica como no escalão feminino embora já tenha estado ligado ao emblema há mais anos.

"Não começámos bem. Tivemos um inicio complicado tendo de construir praticamente uma equipa nova. Neste momento temos mais sete pontos do que fizemos na primeira volta. A nossa meta é chegar ao quarto lugar que é o nosso objetivo preparando já a próxima época. Com três ou quatro reforços vamos ser capazes de ter uma equipa bem mais forte".

O Futebol Benfica segue em sexto lugar com 25 pontos, pontuação igual ao Valadares que segue em quinto

Nesta primeira temporada enquanto treinador no escalão feminino, António Marinho está a ser desafiado por uma nova realidade. Para o técnico é uma transição que foi feita de forma natural, mas há uma diferença entre homens e mulheres no que toca aos treinos.

Modalidade em crescimento e com cada vez mais interesse

O número de praticantes de futebol feminino tem vindo a crescer bem como o interesse na modalidade. A integração de clubes com história no futebol como o Sporting e o SC Braga no futebol feminino aumentou a visibilidade de uma modalidade em crescimento. Para Andreia Silva, é importante haver clubes a apostar, mas é necessário não esquecer os restantes clubes.

Tem entre 18 e 23 anos e recebe menos de 100 euros. Este é o retrato da jogadora portuguesa
Tem entre 18 e 23 anos e recebe menos de 100 euros. Este é o retrato da jogadora portuguesa
Ver artigo

"O futebol feminino tem vindo a crescer. As apostas do SC Braga e Sporting aumentaram a visibilidade e criaram duas equipas de top, mas não podemos esquecer as equipas que já cá estavam antes do aparecimento dessas duas. Todos os clubes trabalham muito e tem grandes estruturas. Em qualquer equipa há vontade de dar os melhor às jogadoras para que se desenvolvam embora seja dificílimo para os clubes pequenos combaterem com as estruturas mais fortes como de Sporting e SC Braga".

Às entradas de ambos os clubes é preciso ainda acrescentar as prestações internacionais de Portugal. Com Francisco Neto no comando da equipa das Quinas, a seleção lusa fez história ao qualificar-se pela primeira vez para um campeonato Europeu de futebol feminino onde, apesar de não ter passado da fase de grupos, conquistou a primeira vitória numa fase final da competição onde ficou emparelhada com Escócia, Espanha e Inglaterra.

Pode o Futebol Benfica regressar à luta pelos títulos?

Na temporada passada, o Sporting dominou a competição em ano de estreia. Mais a norte, o SC Braga também deu passos rumo a uma afirmação de estatuto como equipa de topo. Este ano, as mesma duas equipas, seguidas pelo Estoril, mantêm-se nos lugares cimeiros da classificação, mas o Futebol Benfica está a preparar-se para tentar colocar-se em posição privilegiada.

Clube Futebol Benfica - Futebol Feminino
créditos: Lusa/ Clube Futebol Benfica

Domingos Estanislau dá conta de um estatuto de 'outsider' para o Futebol Benfica na próxima temporada. Continuar o trabalho que tem vindo a ser feito é a prioridade, mas os olhos estão numa potencial campanha vencedora numa taça.

"Para já o objetivo é a continuidade da modalidade ao mais algo nível. Podemos não ter as condições que apresenta o SC Braga e o Sporting que são os grandes investidores, mas podemos ser um outsider. É isso que queremos: ocupar o pódio uma vez ou outra e quem sabe ganhar um taça que pode ser mais 'fácil' do que o campeonato. O nosso trabalho e o nosso empenho serve para nos mantermos como uma das equipa protagonistas que andem sempre pelos lugares de cima", defende o presidente.

António Marinho reforça a crença do dirigente e deixa uma mensagem onde garante que a equipa do Futebol Benfica estará mais forte e, nas palavras do técnico, "não os deixem de fora da corrida".

Um 'Sonho' em forma de museu

As instalações do Futebol Benfica são caracterizadas por vários troféus espalhados por tudo quanto é sítio das 14 modalidades que o emblema pratica. Todas estão cuidadas e há mais 'artefactos' da glória do passado e do presente que não se encontram em casa porque não há manifestamente espaço para as colocar. Domingos Estanislau está ao corrente desta situação e confessa um sonho: A construção de um museu que albergue todos os momentos do Futebol Benfica.

Sala dos troféus do Futebol Benfica
Inês Antunes créditos: Inês Antunes

"Há um sonho que eu tenho que é a construção de um museu do Futebol Benfica. Temos argumentos para a construção do mesmo. Uma coisa é ter as coisas espalhadas por todas as salas como temos agora, outra é ter um museu", começa a explicar o presidente reiterando que o 'sonho' já começou a dar os primeiros passos.

"Temos um projeto que pode vir a andar para a frente. Nós temos muitas histórias para fazer e preencher um museu e com modalidades para além do Futebol Feminino. Há imensas memórias espalhadas pelos filhos e netos de antigas glórias do clube, campeões do mundo e que integram a história que devem regressar a casa. É um crime não estarem no Futebol Benfica onde devem estar, mas nós não temos condições para as receber apesar da vontade das famílias. O museu é uma luta que nós vamos travar com muita dedicação".

Em jeito de despedida, numa última frase de quem já olha para o futuro, António Marinho dá a voz à última declaração do dia. O 'Fofó' está presente e pronto para tudo. Seja no futebol ou nas restantes modalidades: "Não nos ponham de fora que estamos cá para o que der e vier".