Oswaldo Alvarez, que orientou a seleção do Brasil nos últimos dois Mundiais de futebol feminino, morreu hoje aos 63 anos, revelou o hospital Albert Einstein, de São Paulo, onde estava internado.

O técnico, conhecido por Vadão, tinha anunciado recentemente que estava a ser tratado a um cancro no fígado. Lutava contra a doença desde o início do ano, quando passou por sessões de quimioterapia e chegou a apresentar evolução positiva, mas o quadro agravou-se recentemente.

Antes do futebol feminino, passou por clubes como São Paulo - onde lançou Kaká –, Corinthians, Guarani e Ponte Preta.

A Confederação brasileira de futebol recorda "o profissional leal que nunca mediu esforços no exercício da função e trouxe resultados fundamentais para a seleção feminina".

Oswaldo Alvarez comandou as campanhas na Austrália em 2015 e em França em 2019, após o que foi despedido, por resultados fracos (oitavos de final). No seu historial, no entanto, também estão as vitórias na Copa América de 2014 e 2018 e o quarto lugar nos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016.

Marta, capitã da equipa e por seis vezes eleita melhor jogadora mundial do ano, escreveu no Instagram: "Vá em paz professor, sua missão nessa terra você cumpriu e com muito êxito. Desconheço qualquer ser humano igual, você soube viver a vida de maneira digna e honestamente, orgulho demais de ter vivido momentos maravilhosos ao seu lado e ter tido a oportunidade de aprender muito".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.