O ex-futebolista português Luís Figo garantiu esta quinta-feira nunca ter sentido qualquer comportamento racista no balneário do FC Barcelona, clube que representou entre 1995 e 2000, antes de sair de forma tumultuosa para o rival Real Madrid.

"No meu tempo, nunca senti qualquer tipo de racismo no balneário, muito pelo contrário. Eu era estrangeiro e com quem me dava melhor era com os espanhóis", disse Luís Figo, à margem da apresentação do jogo de beneficência entre equipas de ‘estrelas’ da seleção espanhola e mundiais.

Luís Figo, que na temporada 2000/01 protagonizou uma polémica transferência do FC Barcelona para o Real Madrid, contrariou declarações do antigo internacional francês Emmanuel Petit, que recentemente assumiu ter sido alvo de racismo, em declarações à rádio monegasca RMC Sports.

“Experienciei o racismo. Vivi-o no balneário do Barcelona. Com alguns jogadores sucedeu com bastante frequência”, disse o jogador, que esteve no clube na época 2000/01, acrescentando: “Cheguei num mau momento, havia uma guerra no balneário entre catalães e holandeses. Além disso, tínhamos Serra Ferrer como treinador e ele não tinha força suficiente, nem o carisma necessário para gerir a equipa”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.