Com dois períodos diferentes, o 1º de Agosto venceu este sábado, no estádio 11 de Novembro, o Atlético Sport Aviação (ASA) por 3-0 e garantiu a conquista do título de campeão angolano de futebol, beneficiando do empate do Petro de Luanda diante do Benfica de Luanda (0-0).

Depois de uma primeira parte onde criou inúmeras ocasiões de golo, mas sem a eficácia necessária, os “militares” marcaram três, com menos oportunidades.

Com este resultado, o 1º de Agosto soma 66 pontos, contra 61 dos “tricolores”, a uma ronda do final da prova e sagra-se campeão antecipado.

Bua e Ary Papel, com bis deste último, foram os marcadores dos golos, no jogo referente à 29ª jornada.

O 1º de Agosto entrou a “matar” e na primeira parte criou várias oportunidades de golo, tendo valido as intervenções do guarda-redes Maguete e do posto que duas vezes negou o golo. Ary, aos 17 minutos, Gelson (21 e 28), Ibokum (20) e Gogoró (41) tiveram oportunidades de marcar, mas desperdiçaram.

Apesar da falta de eficácia, os “rubro-negros” mantiveram o controlo territorial e maior posse de bola.

Por sua vez, o ASA respondia com várias jogadas de contra-ataque, criando, circunstancialmente algum perigo, com destaque para o cabeceamento de Kialunda, aos 33 minutos, que passou ao lado da baliza defendida por Dominique.

Na segunda parte, o 1º de Agosto criou menos oportunidades, mas foi super-eficaz. Cientes da necessidade de vencer para continuarem com o controlo na luta pelo título e atentos ao empate que persistia entre o Petro de Luanda e Benfica de Luanda, no estádio dos Coqueiros, Gelson e Ary Papel puxaram dos galões e garantiram à vitória dos “rubro-negros”.

Embora tenha falhado uma grande penalidade, Gelson foi um autêntico “abre-latas”, baixando para as alas e conduzir maior parte das jogadas ofensivas da sua equipa, sistema tático que baralhou a defensiva do ASA.

Foi assim que Bua, aos 51 minutos, com um grande golo inaugurou o marcador. Com o ASA a efetuar alguma pressão, com a hipótese de estragar a festa “militar” a qualquer momento, Ary Papel, mesmo na ponta final, bisou, marcando aos 88 e nos minutos de compensações, consolidando a vitória do 1º de Agosto.

No entanto, o jogo “prolongou-se” por cerca de sete minutos, com os jogadores “presos” ao relvado, aguardando o desfecho entre Petro de Luanda e Benfica de Luanda. Atentos à Rádio 5, os jogadores e equipa técnica começaram a festejar, depois de terem conhecimento do nulo, na partida dos “petrolíferos”.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.