O presidente do 1.º de Agosto, Carlos Hendrick, negou hoje a acusação de desvio de verbas no clube angolano, face à crise que a agremiação desportiva enfrenta há já alguns meses.

“Os salários vão diretamente para as contas dos jogadores e funcionários do clube, vindos das empresas estatais. Aqui não há possibilidade de tirar ou fazer manobras com as verbas disponibilizadas”, garantiu.

O presidente anunciou, para breve, a realização de uma assembleia-geral para apresentar as contas do clube, e disse também ser insuficiente a quantia financeira que recebe atualmente do estado angolano.

Os atletas de futebol e basquetebol, que tinham os salários mais altos no desporto angolano, estão há três meses sem salários, e os funcionários do 1.º de Agosto, há sete meses.

Como consequência, os atletas e funcionários estiveram em greve, por 24 horas, em Luanda, há duas semanas.

Recentemente, o Ministério das Finanças angolano anunciou a redução da verba destinada ao 1.º de Agosto, o que levou a direção do clube a pedir “respeito” pelos feitos já alcançados.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.