A direcção do Petro de Luanda rescindiu o vínculo contratual com o técnico Beto Bianchi neste sábado, por incumprimento dos objetivos pelos quais foi contratado em novembro de 2015.

Segundo um comunicado do clube do "Eixo Viário" a que Angop teve acesso, o facto deveu-se também a questões de segurança, já que o treinador tem sido alegadamente ameaçado por adeptos do clube "tricolor".

Na sequência, a equipa será orientada por uma comissão liderada por Toni Cosano (coordenador para o futebol) e os adjuntos Flávio Amado e João Ndoce.

Contratado para devolver a mística da colectividade 15 vezes campeã do Girabola, Bianchi conquistou apenas uma Taça de Angola em 2017. Com ele, o Petro foi vice-campeão em 2016, 2017 e 2018.

O hispano-brasileiro deixa a equipa na segunda posição do Girabola2018/19 com 37 pontos (três jogos em atraso), atrás do 1º de Agosto com 44.

O recente afastamento da Taça da Confederação, onde perdeu no Quénia contra o Gor Maiha, por 0-1, desagradou os adeptos e terá precipitado a rescisão contratual.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.