A formação mexicana, que vai repetir as finais de 1993, 1998, 2007, 2009, 2011 e 2019 com os Estados Unidos – só perdeu em 2007 -, adiantou-se nos descontos da primeira parte, aos 45+2 minutos, num penálti de Orbelín Pineda.

Na segunda metade, os canadianos chegaram à igualdade, aos 57 minutos, por Tajon Buchanan, e, aos 66, o México beneficiou de uma segunda grande penalidade, marcada, desta vez, por Carlos Salcedo, que falhou.

O empate arrastou-se até aos descontos e foi já aos 90+10 minutos que os mexicanos garantiram o apuramento, com um tento de Herrera.

Na equipa mexicana, o portista Jesús Corona foi titular, sendo substituído aos 90+13 minutos, já depois do 2-1, enquanto Stephen Eustáquio, médio do Paços de Ferreira, jogou os 90 minutos na formação canadiana.

Antes, os anfitriões Estados Unidos qualificaram-se para a sua 12.ª final nas últimas 16 edições, ao baterem o convidado e estreante Qatar por 1-0, em Austin.

Um golo de Gyasi Zardes, aos 86 minutos, valeu o apuramento aos norte-americanos, que, desde 1991, só falharam quatro finais, em 1996, 2000, 2003 e 2015.

Na final, os Estados Unidos procuram o sétimo cetro, depois dos conquistados em 1991, 2002, 2005, 2007, 2013 e 2017, enquanto o México vai tentar o 12.º, depois de 1965, 1971, 1977, 1993, 1996, 1998, 2003, 2009, 2011, 2015 e 2019.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.