A revelação foi feita por Ramón Calderón, ex-presidente do Real Madrid, que disse ainda que a saída de Ronaldo para o Barcelona merecia a preferência tanto do Manchester United como do treinador Alex Ferguson, pelo que a palavra do português foi determinante.

"A 08 de Dezembro de 2008, Cristiano Ronaldo chegou a acordo com o Manchester United para vir para o Real Madrid. Por isso, não houve negociação, a transferência estava confirmada. O atleta, num gesto de honradez e vontade clara em vir para Madrid, assumiu uma cláusula de penalização de 30 milhões de euros", contou.

O antigo dirigente divulgou que "o Barcelona tentou a contratação" do português: "Foi uma situação difícil, porque o Manchester resolvia-lhe o problema. É sobejamente conhecido que Alex Ferguson não é amigo do Real Madrid, não vê com bons olhos o Real, porque é um rival desportivo, em títulos e nas competições europeias".

"A opção Barcelona era muito boa, pois permitia-lhe resolver esse problema e tirava um grande jogador ao Real Madrid. É preciso dizer que aí o jogador revelou firmeza e determinação em representar o Real Madrid e não outro clube", acrescentou. 

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.