Este domingo, o guarda-redes espanhol compareceu na sala de imprensa do Estádio Santiago Bernabéu para ler o seu comunicado de despedida.

A emoção na hora de dizer adeus era muita e Casillas não conseguiu impedir que lhe rolassem algumas lágrimas sempre que tentava ler o comunicado que trazia preparado.

Primeiro o guarda-redes começou por confirmar a sua despedida e agradeceu ao FC Porto a oportunidade que lhe foi dada.

“A decisão de ir para o FC Porto teve por base a confiança que me foi transmitida pelo presidente, treinador e toda a equipa (…) Agradeço ao Porto por ter confiado em mim”, começou por dizer.

Depois dirigiu-se aos adeptos do Real Madrid explicando que “chega um dia difícil, o de dizer adeus”, de seguida referiu que a pessoa que é hoje deve-se essencialmente ao clube onde passou 25 anos.

“Este clube formou-me como pessoa, ajudou-me a crescer, com valores como respeito, companheirismo e sobretudo humildade. Levo estes valores para onde for”, declarou.

Casillas reafirmou no fim do comunicado o seu madridismo: “Obrigado, obrigado, mil vezes obrigado. Nunca vos esquecerei e onde for continuarei sempre a gritar ´Halá Madrid!´”.

Leia o comunicado na íntegra:

Em primeiro lugar, obrigado me acompanharem neste momento especial. Vim a este grande estádio despedir-me de todos vocês e em especial dos madridistas. Desde ontem que deixei de pertencer ao Real Madrid. A decisão de ir ao Porto deve-se à confiança que me transmitiram o presidente, o treinador e a equipa, e também pelas mostras de carinho que tenho recebido das pessoas quando se supôs que o meu destino era Portugal. Conquistaram-me e deixaram-me muito feliz, farei de tudo para não os desiludir e darei o meu máximo. Obrigado ao Porto por ter confiado em mim.

Agora dirijo-me aos madridistas. Depois de 25 anos defendendo o escudo da melhor equipa do mundo, chega um dia difícil, o dia de dizer adeus a esta instituição que me deu tudo. Parece que foi ontem a primeira vez que vesti esta camisola e cumpria um sonho. Durante este tempo rimo-nos, choramos, ganhámos, perdemos. Este clube formou-me como pessoa, ajudou-me a crescer com valores como respeito, companheirismo e sobretudo humildade. Vou levá-los para onde for. Lembro-me de todos os companheiros que tive, vivi momentos únicos, foram a minha família. Deixo grandes amigos. Também me lembro de todos os treinadores que tive desde que comecei a jogar desde criança. Com todos aprendi muitas coisas. Todos me transmitiram compreensão, sabedoria, experiência e profissionalismo.

Quero agradecer ainda o carinho do meu pai e toda a família que me ajudaram. E sobretudo à minha mulher e o meu filho que partilharam tudo isto comigo.

Estas últimas linhas vão para o madridismo. Obrigado a todos pelo vosso apoio incondicional. Por me ajudarem a levantar cada taça, por estarem sempre comigo. Independentemente de ter sido um bom ou um mau guarda-redes, espero que toda a gente se recorde de mim com uma boa pessoa, com defeitos e qualidades. Obrigado, obrigado, mil vezes obrigado. Nunca vos esquecerei e para onde for continuarei a gritar ‘Halá Madrid'! Não vou dizer adeus, porque isto não é uma despedida, mas sim um até já”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.