O novo treinador, o ex-técnico do Benfica Quique Flores, ainda não foi para o "banco", tendo assistido ao jogo na bancada do Estádio Vicente Calderón, mas nem assim os jogadores do Atlético reencontraram a inspiração e o caminho das vitórias, ao cederem mais um empate comprometedor.

Nem mesmo o facto de ter jogado durante 25 minutos contra 10, por expulsão do lateral direito do Maiorca, Josemi, aos 26, e durante 39 contra nove, por expulsão do central Ramis, aos 52, fez com que o Atlético evitasse o empate no minuto 90, por Borja Valero.

O Atlético inaugurou o marcador aos 52 minutos, numa grande penalidade concretizada por Forlán, que já tinha falhado um castigo máximo aos 26 (lances esses que deram origem às duas expulsões), mas não foi capaz de chegar ao segundo golo.

Simão Sabrosa foi um dos melhores do Atlético, muito activo na ala esquerda, de onde criou vários lances de perigo, nomeadamente o que deu origem à primeira grande penalidade.

O outro português em campo, o defesa central do Maiorca Nunes, ex-Sporting de Braga, foi, por seu lado, um dos grandes obstáculos ao poderoso ataque da casa.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.