"Sinto-me honrado por tudo isto estar a ser possível. Agora? Bem, agora vemo-nos sábado", disse Cruyff, sorridente e já a pensar no "clássico" deste fim-de-semana entre o FC Barcelona e o Real Madrid, empatados na frente da liga espanhola.

No acto protocolar estiveram presentes o internacional português Eusébio da Silva Ferreira e o inglês Bobby Charlton, entre outras figuras do futebol mundial.

Johan Cruyff, considerado um dos maiores futebolistas da história, representou o FC Barcelona de 1973 a 1978 (como jogador) e de 1988 a 1996 (como treinador), oferecendo em 1992 o primeiro título europeu ao clube.

"Este é um prémio diferente de todos os outros. A base da minha mentalidade, da minha filosofia, é a diversão na prática do futebol. A bola é uma amiga, não uma inimiga. E o mais importante é rir quando estamos com ela", disse Cruyff, também seleccionador da Catalunha.

Para Cruyff, os "melhores jogadores são aqueles que transmitem alegria e simpatia durante o jogo".

Por outro lado, o presidente do FC Barcelona, Joan Laporta, disse que a chegada de Cruyff ao clube assinalou o início da "era moderna" do emblema "blaugrana" e admitiu ser um "descomplexado cruyffista".

"Esta nomeação enche-nos de auto-estima e orgulho. Cruyff é uma personalidade que ofereceu muito ao FC Barcelona. É importante gerar referências, boas para a equipa e para o país", disse.

Na presença de vários jogadores e ex-jogadores, assim como treinadores, Ronald Koeman, futebolista de Cruyff no título europeu do "Barça" em 1991/92 aplaudiu a distinção hoje entregue e considerou o holandês é uma das "mais importantes figuras do clube".

"Herói" na final do Wembley - foi o autor do golo que derrotou a Sampdoria no primeiro título europeu do FC Barcelona -, Ronald Koeman considerou ainda o seu compatriota "parte da vida" do clube.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.