Verão de 2014. O Barcelona garante a contratação de Luis Suárez ao Liverpool e junta assim o avançado uruguaio a Lionel Messi e a Neymar, contratado uma época antes, num tridente ofensivo que ficaria para a história do clube catalão e que seria imortalizado com a sigla 'MSN', em alusão a cada um dos três astros que o compunha.

Por essa altura, no rival Real Madrid havia também um trio lendário, de três das maiores figuras do futebol naqueles anos: o icónico 'BBC', constituído por Benzema, Bale e Cristiano Ronaldo. A Liga espanhola vivia, inequivocamente, uma era dourada, com os dois melhores jogadores do planeta, secundados por quatro das outras maiores estrelas do futebol mundial. E o mundo parava para seguir de perto cada embate entre os dois clubes e entre duas das mais impressionantes triplas de ataque da História da modalidade.

Muitos golos e muitos troféus

Foram, também, épocas douradas para Barcelona e Real Madrid. O 'MSN' - Messi, Suárez e Neymar - jogou junto no Barça durante três temporadas e encantou todos os amantes do futebol com uma forma de jogar que deliciava qualquer um. Nessas três épocas, o conjunto catalão conquistou duas Ligas espanholas, três Taças de Espanha, uma Liga dos Campeões e um Campeonato do Mundo de Clubes.

Messi marcou, nesse período, um total de 154 golos. Neymar assinou 90 e Suárez chegou aos 121. Ou seja, todos juntos, nas três memoráveis épocas em que jogaram juntos, antes de o avançado brasileiro se mudar para Paris, totalizaram 365 (!!!) golos. Uma média de mais de 121 golos entre os três por época.

No Real Madrid, o 'BBC' - Bale, Benzema, Cristiano - durou mais tempo. Nasceu uma época mais cedo, em 2013/14, quando o galês se juntou nos 'merengues' ao francês e ao português, e acabou com a saída de CR7 para a Juventus, no início da época de 2018/19. Os três conviveram, portanto, cinco temporadas no Santiago Bernabéu, período no qual o Real venceu apenas uma Liga espanhola, uma Taça de Espanha e uma Supertaça Espanhola a nível interno, mas nada mais nada menos do que umas impressionantes quatro Ligas dos Campeões, incluindo a tão ambicionada 'La Decima', para além de três Campeonatos do Mundo de Clubes e duas Supertaças Europeias.

Gareth Bale e Neymar medem forças num dos duelos Real v Barça da era 'BBC' vs 'MSN' EPA/ANDREU DALMAU

Ao longo dessas cinco épocas, Gareth Bale marcou 88 golos, Karim Benzema marcou 105 e Cristiano Ronaldo marcou...249! A jogar juntos totalizaram, em cinco temporadas, 442 golos. Uma média superior a 88 golos por temporada entre os três.

Afinal, qual dos trios foi melhor?

Não é fácil olhar para estes números e para este palmarés e perceber qual dos dois trios levou a melhor. Para os adeptos do Barça e para os 'seguidores' de Messi terá sido o 'MSN', para os adeptos do Real e para os 'devotos' de Ronaldo terá sido o 'BBC'. Os restantes amantes de futebol dirão que 'ganhámos todos', por termos tido oportunidade de ver estes dois tridentes de sonho medirem forças na 'La Liga' e na Europa.

Mas é possível fazer uma análise mais pragmática. Olhando para o registo de golos, vemos que a média por época dos três do Barcelona é melhor do que a dos três do Real Madrid. E, se pensarmos no que era na simbiose entre os três, percebe-se que apesar da proeminência de Messi, houve uma melhor distribuição dos golos entre os elementos do 'MSN' do que entre os membros do 'BBC', onde se pode falar numa hegemonia de Cristiano, face a Bale e Benzema.

Messi e Ronaldo nos tempos em que mediam forças em Espanha
Messi e Ronaldo nos tempos em que mediam forças em Espanha

Comparando as três épocas - 2014/15, 2015/16 e 2016/17 - em que os dois trios se digladiaram, Messi, Neymar e Suárez marcaram mais 83 golos nesse período do que Bale, Benzema e Ronaldo. E ganharam por duas vezes a Liga espanhola, contra apenas uma conquistada pelo Real, para além de terem ganho sempre a Taça de Espanha.

Porém, na Europa, Ronaldo e companhia ganharam nesse período por duas vezes a Liga dos Campeões, enquanto o Barça apenas ganhou uma com o seu 'MSN'. Não é pois, de todo, fácil perceber qual dos tridentes foi mais dominante...

O princípio do fim

O fim do 'MSN' deu-se no final da temporada de 2016/17. Aliciado pelos milhões e pela luz de Paris e determinado a mostrar que era capaz de 'liderar' uma equipa rumo a grandes conquistas sem estar na sombra de alguém como Messi, Neymar transferiu-se para o PSG por 222 milhões de euros. Ao todo, o internacional brasileiro esteve quatro temporadas no Barça, disputando 186 jogos e marcando 105 golos.

O 'BBC', por seu lado, durou até à época seguinte e 'desmoronou-se' com a saída de Cristiano Ronaldo do Real Madrid, vendido à Juventus por 117 milhões de euros. No total, Ronaldo esteve nove temporadas nos 'merengues. Marcou 450 golos em 438 jogos!

Era, definitivamente, o final de uma era de ouro da Liga espanhola.

Despedidas de Suárez e Bale no início desta época fecham 'ciclo'

Os trios estavam desfeitos, mas ainda havia dois elementos de cada um nos respetivos clubes. O arranque desta nova temporada, porém, ditou o adeus de mais um elemento de ambos esses antigos tridentes.

Depois de uma época verdadeiramente para esquecer, o Barcelona decidiu proceder a uma profunda renovação na equipa, com um novo treinador - Ronald Koeman - a assumir o leme e Suárez a acabar dispensado, dizendo adeus aos 'blaugrana' para rumar ao Atlético de Madrid a custo zero. O ciclo do uruguaio no Barça terminou, assim, ao fim de seis temporadas, 283 jogos e 198 golos.

Já no Real Madrid, depois de duas épocas em que pouco jogou e em que foi por várias vezes acusado de displicência, Gareth Bale viu-se cedido pelo emblema madrileno ao Tottenham de José Mourinho. Em sete épocas no Santiago Bernabéu, o galês somou 105 golos em 251.

E agora, que trios podem Real e Barça formar?

Resistem, assim, Benzema no Real e Messi no Barcelona. E até o argentino esteve perto de sair, embora siga, afinal, como estrela maior do Barça.

Já o francês, face à saída de Ronaldo e à cada vez menor preponderância de Bale, tem aproveitado as épocas mais recentes para se afirmar como principal figura do Real, tendo sido um dos elementos chave da conquista da Liga espanhola em 2019/20.

Conseguirão, os dois, cada um no seu clube, encontrar outros parceiros com quem formar novos tridentes ofensivos de sonho? Com Barcelona e Real Madrid a rejuvenescerem os respetivos plantéis, não será fácil. Mas porque não pensar no que Benzema, Asensio e Rodrygo poderão fazer, juntos, na frente de no Real, ou que esta poderá vir a ser a 'hora' GMT no Barça, com Griezmann, Messi e Trincão...?

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.