Devido ao surto de COVID-19 grande parte das competições desportivas no mundo estão paradas e os clubes espanhóis foram obrigados a reduzir os salários dos jogadores durante este período.

Andrés Guardado, médio do Bétis, onde também atua o português William Carvalho, manifestou o seu descontentamento com esta decisão.

“É sempre mais fácil tirar dinheiro aos jogadores e não entrar em conflito com uma marca ou ser afetado pela falta de venda de bilhetes. Vou ficar por aqui, é um assunto delicado e não quero que as pessoas fiquem contra mim”, disse o jogador espanhol em declarações à Fox Sport.

“Para os jogadores, esta é uma situação muito complexa, pois somos trabalhadores, mas também ativos do clube. Isto é uma chamada de atenção para o mundo do futebol. O modelo de negócio tem de ser repensado, mesmo que ninguém pudesse prever uma situação destas. Os clubes têm de mudar a forma como gastam o dinheiro. Talvez agora o futebol volte à Terra, pois antes estava numa bolha que não correspondia à realidade”, acrescentou.

A Espanha é o segundo país com mais casos de infetados pelo novo coronavírus, um total de 130.759, e regista 12.418 mortes.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da COVID-19, já infetou cerca de 1,2 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 63 mil. Dos casos de infeção, cerca de 220 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.