Messi mostrou no Clássico com o Real Madrid que não é preciso suar muito a camisola para ser decisivo. O argentino pouco se viu no jogo, mas quando apareceu, foi decisivo, com um golo e uma assistência.

O jornal catação ´El Periódico` analisou a prestação do camisola 10 no jogo com o Real Madrid, ganho pelo Barcelona por 3-0. De acordo com os dados recolhidos, Messi passou 83,1 por cento do tempo a passear pelo relvado de Charmartín. Na sua análise, ´El Periódico` dividiu o esforço de Messi no clássico em três categorias. O argentino esteve 10,8 por cento do tempo a trotear, procurando a melhor posição para receber a bola; esteve 4,95 por cento do tempo a correr sem necessidade de acelerar e apenas sprintou em 1,15 por cento do tempo, tendo atingido a velocidade de 33,6 km/h.

O craque argentino é o maestro de toda a manobra atacante dos blaugrana e os colegas entendem que quanto mais fresco estiver, melhor para a equipa já que assim pode ser decisivo no ataque. É dos poucos jogadores que pouco ou nada participa nas tarefas defensivas ou na pressão que a equipa faz.

Quando a equipa recupera a bola, é o primeiro a ser procurado pelos colegas e, fresco, pode ser decisivo com uma arrancada, centro ou passe longo.

Messi é, a par de Ter Stegen, os únicos que disputaram todos os minutos do Barcelona na Liga Espanhola.

Com o golo apontado na goleada do Barcelona ao Real Madrid, Lionel Messi distanciou-se de Cristiano Ronaldo, Cavani e Lewandowski na lista dos melhores marcadores de 2017. O astro argentino apontou o golo 54 no ano civil de 2017, mais um que o trio com quem estava empatado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.