Despedido para dar lugar a José Mourinho depois de perdida a Liga espanhola, Pellegrini afirma que mesmo que tivesse sido bem sucedido o seu destino estava traçado.

“Se tivesse ganho o campeonato teria saído na mesma”, reitera, contando que Florentino vendeu jogadores que ele considerava serem fulcrais no Real Madrid que queria construir, nomeadamente Sneijder e Arjen Robben.

“Não lucramos nada se temos uma orquestra com os dez melhores guitarristas mas não temos um pianista”, comparou.

O engenheiro reconhece que esteve perto de alcançar a conquista do campeonato e lembra que tal só não aconteceu devido a um ”grande Barcelona”.

No entanto, admite erros na época merengue, mas sublinha que “quando há diferenças com um presidente, quem acaba por sair é o treinador”.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.