O Real Madrid já fez saber que não irá fazer a guarda de honra ao Barcelona, caso o clube catalão já seja campeão quando os dois se defrontarem em Camp Nou. Uma decisão que sido muito falada em Espanha, com críticas de um lado, mas também compreensão do outro. Javier Tebas, presidente da Liga Espanhola, compreende a decisão merengue.

"Preferia que a tradição se mantivesse. Mas se é para humilhar um rival, não gosto. É melhor ficar de parte algum tempo. É uma decisão dos clubes, mas o que me parece é que não se trata de uma homenagem aos campeões, principalmente entre o Barcelona e o Real Madrid, mas sim de uma humilhação", disse Javier Tebas, em declarações ao jornal 'As'.

Zinedine Zidane, treinador dos atuais campeões espanhóis e europeus, já tinha feito saber que os merengues não iam fazer o tradicional 'pasillo' aos rivais catalães, na 36.ª ronda da Liga Espanhola. A última vez em que uma destas equipas fez a guarda de honra a outra foi na época 2007-2008, quando os culés receberam e homenagearam os merengues, que se tinham sagrado campeões na ronda anterior.

O Barcelona lidera a Liga Espanhola com 82 pontos em 32 jornadas, mais 11 pontos que o Atlético Madrid, segundo colocado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.