O procurador da Audiência Nacional pediu esta quinta-feira a aplicação de uma pena de prisão, sem fiança, para Sandro Rosell, ex-presidente do FC Barcelona, detido na terça-feira por suspeita branqueamento de capitais.

Citando fontes judiciais, a agência noticiosa EFE refere que o procurador Vicente González Mota fez este pedido à juíza Carmen Lamela, depois de uma intervenção que durou mais de uma hora e meia.

Sandro Rosell foi hoje presente a tribunal, depois de ter sido detido na terça-feira e interrogado pela polícia no âmbito de um caso de um alegado branqueamento de capitais.

De acordo com a EFE, Marta Pineda, a mulher de Rosell, detida e entretanto libertada, também deverá ser presente hoje a tribunal, tal como os três homens que foram detidos juntamente com o antigo presidente do clube catalão.

Rosell é suspeito de, juntamente com Ricardo Teixeira, antigo presidente da federação brasileira de futebol, ter cobrado comissões ilícitas pelos direitos audiovisuais da seleção brasileira de futebol, que eram depois 'branqueadas' através de empresas em paraísos fiscais.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.