Desta vez, coube a Ronaldo marcar a grande penalidade, depois da polémica na jornada anterior, quando Xabi Alonso avançou para executar o castigo máximo que daria o sexto golo ao Real Madrid na goleada ao Villarreal por 6-2, antecipando-se ao português, que também queria bater a falta.

O assunto mereceu destaque durante a semana na imprensa espanhola, apesar de os responsáveis do Real Madrid o terem desvalorizado.

O Real Madrid tornou fácil o jogo em Tenerife, impondo a sua superioridade individual e colectiva, traduzida com dois golos de Higuaín, o melhor homem em campo, aos 29 e 41 minutos, chegando ao intervalo com uma vantagem significativa.

No recomeço, o Tenerife reduziu para 2-1, por Ayoze aos 46 minutos, mas nem sequer chegou a retirar dividendos psicológicos do golo, já que o Real Madrid respondeu de imediato com um tento de Kaká, a passe de Higuaín.

Os quinto e sexto golos, por Cristiano Ronaldo e Raúl, que entrou aos 78 minutos a substituir Higuaín, serviram apenas para confirmar a supremacia do Real Madrid, que, com esta vitória, soma 59 pontos e coloca pressão sobre o líder FC Barcelona.

Os catalães, campeões em título e líderes da Liga à entrada para a ronda com dois pontos de vantagem sobre o Real Madrid, recebem ainda hoje o Málaga.
Noutro jogo da 24.ª jornada hoje disputado, o Saragoça, 17.º classificado, foi a casa do Getafe vencer por 2-0.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.