No final de setembro, Luis Suárez abandonou o Barcelona ao final de seis anos no clube blaugrana. Esta sexta-feira, o avançado uruguaio falou sobre a saída e admitiu que os responsáveis do Barcelona poderiam ter tratado da rescisão de forma diferente.

"Estava ótimo, levava seis anos de Barcelona e acho que havia outras maneiras de me dizer que o clube tinha pensado em mudar de ares. Mas não foram boas as formas utilizadas para o fazer e isso também incomodou o Leo [Messi]. Ele sabe o que sofremos e o mal que passamos nesse momento [da saída]", começou por admitir.

No final do jogo entre Uruguai e Chile, que terminou com a vitória da seleção de Suárez, o jogador do Atlético de Madrid salientou que os dias que antecederam à saída "foram muito complicados" e que o apoio de Messi, que criticou publicamente o clube, não foi inesperado. "Não me surpreendeu porque o conheço muito bem e já sabia a dor que ele sentia", referiu, antes de comentar as imagens que o mostravam a sair do centro de treinos em lágrimas.

"Chorei porque tinha que vir embora. Não aceitei muito bem as mensagens do clube sobre estarem à procura de uma solução para a minha mudança de ares. Foi a forma como o fizeram, nada mais, porque temos que aceitar quando se cumpre um ciclo", rematou Luis Suárez.

Recorde-se que Suárez, de 33 anos, chegou ao Barcelona na época 2014/15, proveniente dos ingleses do Liverpool, e nas seis épocas ao serviço do FC Barcelona apontou 198 golos, conquistando 13 títulos.

O avançado, que tinha contrato até 2021, não entrava nas contas do novo treinador da equipa, o holandês Ronald Koeman, e reforçou assim a equipa orientada por Diego Simeone, que transferiu o avançado Morata para a Juventus de Cristiano Ronaldo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.