Bruno Fernandes foi o jogador português eleito para fazer a antevisão do encontro com a Suíça, referente ao segundo embate do Grupo 2 da Liga das Nações A. A partida está agendada para este domingo (19h45), em Alvalade.

"É obrigatório vencer sempre que temos a camisola da seleção vestida e sabemos da responsabilidade que é representar Portugal. Também sabemos aquilo que é esperado de nós, pela nossa qualidade, e o nosso objetivo é vencer. O foco está no próximo jogo e o mais importante é ganhar. Sabemos que a Suíça tem jogadores muito agressivos e fortes fisicamente no meio-campo, mas tudo depende do momento do jogo. O mais importante para mim é que quem está à minha volta esteja bem e eles vão fazer para que o meu jogo saia bem. Se jogar, vou dar o meu melhor", disse, este sábado, o médio do Manchester United, que foi confrontado com os altos e baixos da seleção portuguesa.

"Tenho sido convocado e tenho feito parte de quase todos os jogos. Portanto, o mister tem gostado do que tenho vindo a fazer. Se não gostasse, não era aposta. Sei que, no Sporting e no Manchester United, tive números altos e todos esperam que eu chegue aqui e faça o mesmo. Estou aqui para fazer aquilo que me pede cada momento. Há jogos em que tenho de atacar mais e noutros tenho de defender mais. Depende da estratégia para cada jogo. Tenho feito um bom trabalho na seleção desde 2017", disse Bruno Fernandes.

Depois do empate a um golo com a Espanha, na passada quinta-feira, em Sevilha, Bernardo Silva foi um dos jogadores que criticou a carga de jogos a que os jogadores estão sujeitos depois de desgastantes temporadas ao serviço dos clubes. Bruno Fernandes concorda com o colega da seleção.

“Não somos nós que tomamos as decisões. Somos uns privilegiados por representar a seleção. Mas, se queremos os jogadores ao mais alto nível, há que dar o devido descanso. Na seleção, ninguém se desculpa com isso, nem diz que está cansado. É um privilégio estar aqui e temos de aproveitar esta oportunidade e dar o máximo”.

Com o empate de quinta-feira, Portugal e Espanha somam um ponto cada, enquanto a República Checa lidera o grupo, com três, após o triunfo por 2-1 na receção à Suíça, próxima adversária da equipa das ‘quinas’.

A partida está agendada para domingo, a partir das 19:45, no Estádio José Alvalade, e será dirigida pelo israelita Orel Grinfeld.

Após o encontro com os suíços, Portugal volta ao mesmo palco, em 09 de junho, para medir forças com a República Checa, seguindo depois para Genebra, onde irá atuar no dia 12, naquele que será o segundo embate com os helvéticos.

A fase final da Liga das Nações realiza-se de 14 a 18 de junho de 2023, com os vencedores dos quatro grupos da Liga A, sendo que os últimos de cada um dos agrupamentos descem à Liga B.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.