A seleção portuguesa de futebol terminou hoje a fase de grupos da Liga das Nações com a única que não perdeu entre as 12 participantes na Liga A, ao empatar 1-1 com a Polónia, em Guimarães.

Em quatro jogos no Grupo 3, o ‘onze’ de Fernando Santos, mesmo sem Cristiano Ronaldo, que se ausentou por vontade própria, somou dois triunfos e dois empates.

A formação das ‘quinas’ começou por vencer em casa a Itália por 1-0, com um golo de André Silva, depois foi à Polónia ganhar por 3-2 e, ao terceiro jogo, garantiu desde logo a qualificação, ao empatar a zero em San Siro, com os transalpinos.

Hoje, já com lugar assegurado na ‘final four’, o selecionador luso procedeu a muitas alterações e Portugal ficou-se por um empate a um golo com a Polónia, num jogo em que esteve a vencer e cedeu o empate de penálti, ficando com 10 desde os 63 minutos.

Portugal aguentou, ainda assim, a igualdade e fechou como única equipa invicta, mas não como a que mais pontos somou na Liga A, pois Suíça e Bélgica totalizaram nove, que valeram aos helvéticos a vitória no Grupo 2, à frente precisamente dos vizinhos belgas.

Os dois conjuntos venceram os dois embates com a Islândia – a Suíça por 6-0 em casa e por 2-1 fora e a Bélgica por 2-0 em casa e 3-0 fora -, e ganharam na receção ao adversário direto, com o primeiro lugar a decidir-se pelos golos.

Os belgas, terceiros no Mundial de 2018, ganharam em casa por 2-1 e, em reduto alheio, estiveram a vencer por 2-0. Os suíços ficaram a quatro golos do apuramento e acabaram por marcar cinco, três deles do benfiquista Seferovic, vencendo por 5-2.

Com sete pontos, a dois de Suíça e Bélgica e um de Portugal, acabaram três seleções, a Holanda, no Grupo 1, e a Inglaterra, no Grupo 4, que também conseguiram rumar à ‘final four’, e a campeã mundial França, que perdeu para a seleção ‘laranja’.

No Grupo 1, a Holanda e a França terminaram com os mesmos sete pontos, mas o conjunto comandado pelo ex-técnico do Benfica Ronald Koeman prevaleceu face ao confronto direto, com um triunfo caseiro por 2-0 e um desaire em solo gaulês por 2-1.

A formação ‘laranja’, uma das grandes ausentes do Mundial de 2018, esteve quase a falhar o primeiro lugar, na última ronda, na Alemanha, onde precisava de empatar e perdia por 2-0 a pouco mais de cinco minutos do fim. Valeram os tentos de Quincy Promes (85) e do central Virgil van Dijk (90+1).

Por seu lado, a Inglaterra venceu isolada o Grupo 4, um ponto à frente da Espanha e três da vice-campeã mundial em título Croácia, num agrupamento também decidido, e de forma dramática, no último jogo, com a qualificação a poder cair para qualquer um.

Em Wembley, os croatas adiantaram-se, aos 57 minutos, com um tento de Andrej Kramaric, que lhes dava o primeiro posto, mas, aos 78, Jesse Lingard restabeleceu a igualdade, resultado que colocava a Espanha na fase final.

A última ‘palavra’ pertenceu, porém, ao ‘capitão’ Harry Kane, que fez o 2-1 aos 85 minutos e colocou os ingleses na ‘final four’ que Portugal vai organizar.

Bélgica (nove pontos), França (sete), Espanha (seis), Itália (cinco) e Croácia (quatro) falharam todas o apuramento, tal como Polónia (dois) e Islândia (zero), mas nenhuma seleção desiludiu tanto, e mais uma vez, do que a ‘toda poderosa’ Alemanha.

Depois da ‘barraca’ que foi a sua participação no Mundial de 2018, prova em que se ficou pela fase de grupos, a ‘Mannschaft’, de Joachim Löw, foi último do Grupo 2, com apenas dois pontos e 3-7 em golos, e desceu à Liga B.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.