Carlo Ancelotti não teme que o seu lugar como treinador do Chelsea possa estar em risco na decisão dos quartos-de-final da Liga dos Campeões, diante do Manchester United, jogo para o qual parte em desvantagem (0-1 na primeira mão).

«Penso nisso muitas vezes, sempre que tenho de jogar este tipo de jogos na minha carreira. Mas não é pressão. É excitação. Estar envolvido neste jogo é fantástico na minha profissão, na minha carreira. Por isso não tenho medo. Não estou preocupado com isso. Quanto ao meu futuro, já está decidido. Não tenho problemas quanto a este jogo», afirmou o técnico italiano, na antevisão do duelo com os red devils.

Questionado se já discutiu o seu futuro com Roman Abramovich, Ancelotti desvaloriza a situação: «Não é importante ter de falar com Roman. Enquanto tiver contrato, está tudo bem comigo

Os campeões ingleses já estão praticamente afastados da possibilidade de revalidar o título inglês, encarando assim a Champions como a grande chance de conquistar um troféu esta época. 

«Sabemos que temos de ganhar. Mas também sabemos que temos noventa minutos para conseguir isso. Não temos de pressionar logo de início. Precisamos de tempo para impor o nosso futebol e marcar. Temos de jogar com equilíbrio porque o United, em contra-ataque, pode ser perigoso. O Rooney é o jogador mais perigoso e vamos ter de fazer melhor do que fizemos no último jogo. Mas não vamos mudar a nossa forma de jogar e a nossa mentalidade só para controlar o Rooney. Queremos jogar ao melhor nível que pudermos», concluiu.

Manchester United e Chelsea defrontam-se esta noite, em Old Trafford, às 19h45. 

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.