O FC Barcelona precisa de uma ‘remontada’ heroica para chegar pela 10.ª vez consecutiva aos quartos de final da Liga dos Campeões em futebol, depois do ‘penoso’ 0-4 sofrido na casa do Paris Saint-Germain.

Numa situação similar à vivida há quatro anos, face ao Bayern Munique, nas meias-finais, o ‘Barça’, que então acabou por perder (0-3) em casa, sem Messi, precisa de um resultado que só conseguiu, nos últimos anos, face ao Bayer Leverkusen.

Nos oitavos de final da ‘Champions’ 2011/12, os então detentores do cetro golearam em casa os germânicos por 7-1, com cinco golos de Messi, mas depois de já terem ‘selado’ o apuramento na Alemanha, com um triunfo por 3-1.

Agora, a missão é bem mais complexa, face a um poderoso Paris Saint-Germain, que sabe que, marcando um golo, obriga os catalães a apontar seis, tarefa que se afigura como ‘ciclópica’, mesmo para quem tem Messi, Suárez e Neymar.

Nos últimos anos, o FC Barcelona já conseguiu virar um resultado negativo, face ao Ac Milan, nos ‘oitavos’ da edição 2012/13, mas a desvantagem era de apenas 2-0, que o ‘Barça’ anulou com uma goleada por 4-0, com um ‘bis’ do argentino.

O favoritismo está, assim, todo do lado do Paris Saint-Germain, que não partiu como favorito, mas tem os quartos de final ‘escancarados’ e a manutenção do pleno de apuramentos nos ‘oitavos’ – soma quatro, em quatro presenças.

O argentino Ángel Di Maria (dois), o alemão Julian Draxler e o uruguaio Edinson Cavani marcaram os tentos que ‘arrasaram’ os catalães, que poderiam ter faturado, mas igualmente saído do Parque dos Príncipes com desaire ainda mais pesado.

Em vésperas do aguardo encontro, os parisienses venceram por 1-0 na receção ao Nancy, enquanto os catalães lograram um resultado que lhes serviria na perfeição no embate de quarta-feira: deram 5-0 ao Celta de Vigo.

O PSG parte para a segunda mão com quatro golos de vantagem, enquanto o Benfica, a outra equipa do ‘top 16’ que também tem o pleno de apuramentos nos ‘oitavos’ (três em três), chega à Alemanha com apenas um, após o 1-0 ao Borussia Dortmnd, que poderá não ter Marco Reus na segunda mão.

Os alemães criaram muitas ocasiões na Luz, mas não marcaram, numa noite em que Ederson defendeu tudo, até um penálti do perdulário Aubameyang, e o grego Mitroglou materializou uma das poucas oportunidades do Benfica.

Nos jogos de terça-feira, os favoritos estão em clara vantagem para rumar aos quartos de final, mais o Bayern Munique, que recebeu e goleou o Arsenal por 5-1, do que o Real Madrid, vencedor por 3-1 na receção ao Nápoles.

Os bávaros, que ultrapassaram nove das 12 presenças nos ‘oitavos’, vão, praticamente, ‘cumprir calendário’ a Londres, depois de uma ‘enorme’ segunda parte no Allianz Arena, com quatro golos sem resposta, após 1-1 ao intervalo.

Por seu lado, o detentor título do Real Madrid poderá não ter tantas facilidades, frente a um conjunto que chegou a assustar o Bernabéu, onde se colocou em vantagem, graças a um grande golo do pequeno Lorenzo Insigne.

Com golos dos médios Kroos e do ex-portista Casemiro (um fantástico pontapé), os ‘merengues’ também resolveram na segunda metade, igualmente após 1-1 ao intervalo, abrindo as portas a um oitavo apuramento em 14 presenças nos ‘oitavos’.

A formação de Cristiano Ronaldo, Pepe e Fábio Coentrão tenta tornar-se a primeira a revalidar o título na ‘era Champions’ (desde 1992/93): o último a conseguir a proeza na principal prova de clubes foi o AC Milan, em 1989/90, depois de bater o Benfica por 1-0.

Os segundos quatro encontros dos oitavos de final realizam-se na semana seguinte, com o FC Porto a deslocar-se a Turim, para defrontar a Juventus, após um comprometedor desaire caseiro por 2-0 (tentos de Pjaca e Dani Alves).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.