O presidente da UEFA, Aleksander Ceferin, disse hoje que "a Federação Portuguesa de Futebol foi a primeira a oferecer ajuda" para receber a fase final da Liga dos Campeões de futebol em agosto, numa ‘final a oito'.

A edição de 2019/20 da ‘Champions', que foi suspensa em março devido à pandemia de covid-19, vai ser reatada com os restantes quatro jogos dos oitavos de final, seguindo-se o desfecho inédito em campos neutros, nos Estádios da Luz e José Alvalade, em Lisboa, anunciou hoje a UEFA e confirmou a Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Nessa altura, já vai ser conhecido o alinhamento dos ‘quartos', que serão disputados entre 12 e 15 de agosto, e das ‘meias’, em 18 e 19 de agosto, com a final marcada para 23, na Luz.

Antes, Porto e Guimarães poderão ainda receber os jogos restantes da segunda mão dos oitavos de final, caso estes não sejam jogados nos recintos dos clubes, em 07 e 08 de agosto.

Atlético de Madrid, Atalanta, Leipzig e Paris Saint-Germain já estão apurados, faltando encontrar vencedor em quatro confrontos dos ‘oitavos': Manchester City-Real Madrid, Juventus-Lyon, FC Barcelona-Nápoles e Bayern Munique-Chelsea.

Ceferin esclareceu ainda que a decisão de atribuir à Alemanha os jogos derradeiros da Liga Europa, e a Espanha a Liga dos Campeões feminina, igualmente no formato inédito de 'final a oito', não se deveu "a uma luta", mas antes ao facto de terem sido as três federações que "disseram estar prontas para organizar uma competição".

Com um protocolo médico que inclui testes a jogadores e equipas técnicas a ser finalizado "nas próximas semanas", Ceferin garantiu não existir nenhum "plano B" e que a UEFA avalia a evolução da pandemia de covid-19 "dia a dia".

"Estamos em contacto constante com a FPF, que está em contacto com as autoridades portuguesas. As coisas parecem bem por agora, e esperamos que tudo esteja bem até à organização da ‘final a oito'. Para já, não há razão para um plano B, mas estamos a avaliar a situação dia a dia, e adaptar-nos-emos se necessário", acrescentou o presidente do organismo de cúpula do futebol europeu.

O esloveno falava em conferência de imprensa após uma reunião do Comité Executivo da UEFA, no qual foram tomadas várias decisões quanto às restantes competições europeias, suspensas ou adiadas devido à pandemia de covid-19.

Caberá ao Comité Executivo discutir, ainda, sobre a viabilidade de estes jogos receberem adeptos nos estádios, algo que, se "fosse decidido agora", seria pela porta fechada, ainda que a situação esteja "sempre a mudar".

"Temos de ver como será em agosto. Nessa altura, em que arranca a ‘final a oito', terão passado quase dois meses desde hoje. Há dois meses, qual era a situação na Europa? Temos de esperar", atirou.

Mais tarde, quando questionado sobre se as equipas teriam de permanecer no país ou viajar entre jogos, o secretário-geral adjunto da UEFA, Giorgio Marchetti, confirmou que as mesmas "devem ficar no local", uma das razões pelas quais este formato foi escolhido para concluir a temporada 2019/20.

Como conclusão de uma inédita ‘final a oito', a final, que vai ditar o sucessor do já eliminado Liverpool como campeão da mais importante prova europeia de clubes, vai ser disputada pela terceira vez em Portugal.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.