O Manchester City não teve dificuldades em vencer o Arsenal em Londres por 3-0, em partida da 17.ª jornada da Premier League.

No Emirates Stadium só deu City, que podia ter construído um resultado mais volumoso, não fosse a falta de pontaria dos homens de Guardiola.

Logo aos dois minutos, o belga Kevin De Bruyne abriu o ativo, assistido por Gabriel Jesus. O médio assistiu Raheem Sterling para o 2-0, numa jogada fácil, onde ficaram expostos a fragilidade defensiva do Arsenal. Sterling estava sozinho no segundo poste e só teve de encostar, aos 15 minutos

Numa tarde/noite endiabrada, Kevin De Bruyne fez o 3-0 ainda no primeiro tempo, num golo fantástico de pé esquerdo, de fora da área, após boa jogada dos 'citizens', aos 40 minutos Tudo a olhar no Arsenal.

Pouco tempo depois o belga podia ter feito o hat-trick, em mais um remate colocado, de fora da área, agora com o pé direito, mas o guarda-redes Bernd Leno voou e desviou a bola para o poste.

No segundo tempo, os campeões ingleses tiveram várias oportunidades para dilatar a vantagem mas algum egoísmo evitou que Arsenal sofresse uma derrota mais humilhante. Kevin de Bruyne, Gabriel Jesus, Mahrez e Sterling tiveram nos pés várias oportunidades mas falharam.

Destaque para mais um jogo para esquecer de Mezut Ozil. O médio alemão foi substituído e, já fora das quatro linhas, pontapeou as luvas que usava, descontente com a sua saída.

A equipa orientada, de forma interina, por Freddie Ljunberg, após a saída de Emery, fez apenas seis remates em todo o jogo, o mais baixo desde dezembro de 2008, quando acabaram também com seis remates frente ao Liverpool.

A equipa vai no sexto jogo sem ganhar casa (três empates e três derrotas), a pior sequência desde dezembro de 1994 e fevereiro de 1995, sob o comando de George Graham.

O português Bernardo Silva foi lançado no segundo tempo.

O Arsenal é 9.º da Premier League com 19 pontos em 17 jogos mas ainda pode ser ultrapassado por Brighton & Hove Albion e Crystal Palace. Já o Manchester City chegou aos 35 pontos e reduziu em dois a desvantagem para o Leicester City (39), após o empate dos 'foxes' este sábado.

Mourinho ganha a NES com golos nos descontos

Nos outros dois jogos do dia na Premier League, o Tottenham venceu o Wolverhampton por 2-1, com a vitória da equipa de José Mourinho sobre a formação liderada por Nuno Espírito Santo a ser conseguida nos descontos, enquanto o Manchester United cedeu um empate caseiro frente ao Everton (1-1).

No duelo entre treinadores portugueses, Lucas Moura (oito minutos) e Jan Vertonghen (90+1) marcaram os golos dos 'spurs', com Adama Traoré a marcar para os 'wolves' aos 67.

Com a vitória, o Tottenham entra nos lugares europeus, depois de um mau arranque de época, ficando no quinto posto (26 pontos em 17 jogos), enquanto o Wolverhampton caiu para o oitavo lugar (24 pontos em 17 jornadas).

Já em Old Trafford, o Manchester United ficou em desvantagem aos 36 minutos devido a um autogolo do sueco Victor Lindelof (ex-Benfica), tendo conseguido chegar à igualdade aos 77 através do jovem avançado inglês Mason Greenwood (18 anos).

Com este desfecho, o Manchester United desceu para sexto (25 pontos), enquanto o Everton segue na 16.ª posição (18 pontos).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.