O presidente da Mesa da Assembleia-Geral (AG) do Paços de Ferreira, Fernando Sequeira, disse hoje que o "play-off" da Liga dos Campeões de futebol frente aos russos do Zenit é para desfrutar e dignificar o país.

«É um privilégio estar nesta competição [Liga dos Campeões], num momento, se calhar, único e irrepetível, e, por isso, temos é de desfrutar deste momento», disse Fernando Sequeira, em declarações à agência Lusa, reagindo ao adversário que saiu aos pacenses no sorteio realizado hoje em Zurique, na Suíça.

O antigo presidente da formação pacense lamentou apenas as questões de logística que acarretam uma deslocação à Rússia, recordando a sua experiência em 2009/10, quando a equipa defrontou o Zimbru (1-0 e 0-0), da Moldova, para a Liga Europa, e, depois, na terceira pré-eliminatória da competição, os israelitas do Bnei Yehuda (derrotas por 1-0 nas duas mãos).

Fernando Sequeira disse também não valer a pena estabelecer metas em termos desportivos, alertando para a «abissal diferença de orçamentos» entre as duas equipas, e insistiu que «é um orgulho para os atletas, o clube e a região ter uma equipa na Liga dos Campeões».

«É preciso dignificar o país, mas os jogadores, fundamentalmente eles, têm de estar focados no mais essencial, que é o campeonato», concluiu o líder da AG.

O Zenit, onde alinham os internacionais lusos Luís Neto e Danny, o brasileiro Hulk (ex-FC Porto) e o belga Axel Witsel (ex-Benfica), conta três presenças na fase de grupos da Liga "milionária" e o seu melhor desempenho foi ter atingido os oitavos de final da prova na edição de 2011/2012.

O Paços recebe os russos na primeira mão a 20 ou 21 de agosto, estando o encontro da segunda mão, a disputar na Rússia, agendado para a semana seguinte.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.