Depois de empatar com o Manchester City, o FC Porto recorreu à newsletter Dragões Diário para deixar duras críticas aos citizens e à equipa de arbitragem do encontro.

"O técnico e os jogadores do Manchester City – que também tiveram dificuldades em lidar com o resultado – até deviam dar graças pela sorte que voltaram a ter com a arbitragem. Depois dos escândalos do jogo de Inglaterra, desta vez ficou por assinalar um penálti por falta mais do que evidente de Ederson sobre Otávio, além de ter sido poupada a expulsão a Fernandinho, que do alto dos seus 35 anos é um exemplo claro de que o dinheiro no futebol conta muito, mas não compra classe ou noção", começaram por atirar os dragões.

O FC Porto aproveitou ainda para destacar a exibição do guarda-redes portista. "Uma das figuras em destaque pela positiva foi Marchesín, que protagonizou um conjunto de boas defesas e nem por isso deixou de salientar que ficou “contente pela equipa”, por ter sido alcançado “o mais importante” perante “uma potência futebolística”. Diogo Leite, Uribe e Evanilson também sublinharam o êxito da qualificação para os oitavos e garantiram que o grupo não quer ficar por aqui. Agora vão “trabalhar em busca de mais objetivos na Liga dos Campeões”, afirmou o avançado brasileiro", referem.

"O sucesso do FC Porto na competição de futebol mais difícil do mundo está longe de ser novidade, mas não pode ser diminuído ou banalizado. Há um dado que é como o algodão e que até foi destacado por Sérgio Conceição, normalmente avesso a estatísticas. Ontem foi garantida a 16.ª qualificação azul e branca em 24 participações na fase de grupos, um registo que suplanta o dobro do conjunto dos apuramentos de outras equipas portuguesas: o Benfica alcançou-o cinco vezes, o Boavista uma, o Sporting outra", salientam ainda os dragões.

"Se dúvidas houvesse, o desdém com que uma parte importante da imprensa de Lisboa trata o FC Porto é por si só um testemunho do nosso sucesso, sempre tão incomodativo. Apesar de o jogo de ontem ter ficado empatado, um canal de televisão conseguiu arranjar maneira de dizer que os campeões nacionais foram “goleados”. E horas antes do encontro uma outra estação decidiu lançar um passatempo (ou uma provocação?) para oferta de uma camisola de um adversário nosso que é conhecido internacionalmente por ter sido condenado por racismo. À noite, lá tiveram de ser confrontados com a realidade que não lhes agrada. Não foram só Pep Guardiola e Fernandinho que ficaram indispostos...", rematou o FC Porto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.