Quando parecia iminente a derrota, depois de um golo de Andriy Shevchenko, aos 21 minutos, o argentino Diego Milito, aos 86, e o holandês Wesley Sneijder, aos 89, operaram a reviravolta, selando, após mais de um ano de seca, novo sucesso europeu dos tetracampeões italianos.

Depois do triunfo sobre os cipriotas do Anorthosis Famagusta (1-0), a 22 de Outubro de 2008, na terceira jornada da fase de grupos da edição 2008/2009 da “Champions”, o Inter não mais ganhara, somando cinco empates e três derrotas.

Em Kiev, face ao Dínamo, este em perto de acontecer o nono capítulo desta “tragédia”, mas um curto espaço de quatro minutos foi suficiente para o conjunto de José Mourinho transformar um desaire numa importantíssima vitória.

Desta forma, o Inter de Milão, líder confortável do campeonato italiano (mais sete pontos do que a Sampdória, segunda, após 11 rondas), rumo ao “penta”, passou de um provisório último lugar do Grupo F para a liderança.

Após quatro jornadas, os italianos somam seis pontos, contra cinco do campeão europeu FC Barcelona e do Rubin Kazan, que hoje se “anularam” na Rússia, e quatro do Dínamo de Kiev... certamente ainda a pensar como perdeu o jogo.

O Inter de Milão está, assim, em boa posição para conseguir o apuramento, mas a tarefa dos transalpinos está longe de estar completa, até porque na próxima ronda (24 de Novembro) tem uma complicada deslocação ao Nou Camp.

Mesmo que perca em Barcelona, o “onze” de José Mourinho terá sempre a última palavra na sexta e derradeira ronda do agrupamento, quando receber o Rubin Kazan em San Siro, num embate agendado para 09 de Dezembro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.