Realiza-se amanhã o sorteio dos quartos de final e meias finais da Liga dos Campeões, e não havendo muito por onde escolher, haverá adversários que Jorge Jesus, treinador do Benfica, quererá a todo o custo evitar.

Fora Marselha e Apoel, o “onze” de Jorge Jesus não tem por onde escolher, bastando lembrar que os restantes (FC Barcelona, Real Madrid, Bayern, AC Milan e Chelsea) estiveram todos em finais na última década.

O grau de dificuldade dos cinco outros candidatos a defrontar os “encarnados” não é, no entanto, linear, sendo que um é completamente “dispensável”: o campeão em título FC Barcelona, que se quer tornar o primeiro a revalidar o cetro na “era” Champions.

Com as atenções focadas na prova, face ao atraso na Liga espanhola, o “Barça”, do “extraterrestre” Lionel Messi, parece, de facto, um adversário fora do alcance do Benfica, bem como de quase todos os outros, se não todos.

No degrau abaixo, está o Real Madrid, de José Mourinho, Cristiano Ronaldo, Fábio Coentrão, Pepe e Ricardo Carvalho, outra equipa de uma dimensão “gigantesca” e que procura, desesperadamente, evitar o 10.º ano de “seca”.

Embora sem o poderio de FC Barcelona e Real Madrid - curiosamente as equipas frente às quais o Benfica somou os seus dois títulos europeus (1960/61 e 61/62) -, Bayern Munique, AC Milan e Chelsea são também oponentes de peso.

Os bávaros, que estiveram na final de 2009/2010, anseiam por repetir o título de 2000/2001, como mostraram terça-feira face ao Basileia (7-0, com Ribery e Robben em “grande” e “poker” de Mario Gomez), numa época em que a final está agendada precisamente para o “seu” Allianz Arena.

Por seu lado, o AC Milan é a melhor equipa italiana da atualidade, um conjunto forte defensivamente e, sobretudo, com inúmeras soluções no ataque, liderado invariavelmente pela classe do sueco Zlatan Ibrahimovic.

O Chelsea é o adversário que Jorge Jesus “pediu”, pelo encaixe mais favorável com ingleses, mas os londrinos são um adversário de respeito ou não fossem um grupo de veteranos apostados em dar, finalmente, o cetro a Roman Abramovich.

Já sem André Villas-Boas, substituído até final da época pelo italiano Roberto Di Matteo, o conjunto de Londres tem Cech, Terry, Ashley Cole, Essien, Lampard e Drogba e, claro, os ex-benfiquistas David Luiz e Ramires, bem como os lusos Raul Meireles, Bosingwa, Paulo Ferreira e Hilário.

O sorteio dos “quartos” (jogos a 27 ou 28 de março e 3 ou 4 de abril) está marcado para sexta-feira e será o último da época, pois ficar-se-á a conhecer também a “chave” das meias-finais, tudo sem condicionalismos ou cabeças de série.

O Benfica “agradece” que “Barça”, Real, Milan e Bayern fiquem do outro lado do quadro dos “quartos”: assim, seria possível mais do que sonhar com a final de 19 de maio.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto