Após o empate a um golo com o Union Berlin, os jogadores do SC Braga começaram por lamentar a expulsão de Niakaté aos 30 minutos de jogo.

"O lance da expulsão acaba por mudar tudo. Acho que fizemos uma segunda parte muito boa. O empate ajusta-se mas podíamos ter vencido", analisou o capitão Ricardo Horta, na zona de entrevistas rápidas, antes de apontar baterias para o jogo decisivo em Nápoles: "Enquanto matematicamente for possível, vamos à procura dessa vitória por dois golos. É difícil, mas fizemos um grande jogo cá, mesmo com 10 elementos".

Uma ideia partilhada por Álvaro Djaló, que não escondeu a felicidade pelo golo marcado. "Fico feliz por ter contribuído para ajudar a equipa, apesar de acharmos que podia ter feito melhor em algumas ocasiões". Tal como Horta, o avançado espanhol acredita que é possível vencer em Itália por uma diferença de dois golos, o necessário para seguir em frente na prova. "Acredito que sim, se continuarmos a trabalhar como temos trabalhado com diante dos melhores, não há problemas de sair com os três pontos e passar aos oitavos de final", afirmou Djaló.

Já Rodrigo Zalazar, titular esta noite, preferiu destacar o domínio da equipa portuguesa na segunda parte, apesar da inferioridade numérica. "Demos tudo para ganhar, acho que tivemos chances de fazer golo. Foi um jogo em que apesar de termos jogado com menos um, dominámos na segunda parte. Há chances de passar aos oitavos-de-final da Champions e vamos trabalhar para isso".

O derradeiro jogo está marcado para o dia 16 de Dezembro, no Estádio Diego Armando Maradona, em Nápoles.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.