O Benfica tem um saldo positivo nas eliminatórias de acesso à Liga dos Campeões em futebol, às quais regressa sete anos depois, com sete apuramentos e apenas duas ‘quedas’, perante Lazio e Anderlecht.

A formação ‘encarnada’ chegou à fase de grupos sem ser de forma direta em 1991/92, edição que não entra nas contas da ‘Champions’ para a UEFA, 1998/99, 2006/07, 2007/2008 e, a última vez, em 2011/12, depois de ultrapassar dois adversários.

As eliminações foram consecutivas, em 2003/2004 e 2004/2005, épocas em que o Benfica começou a ‘renascer’ internamente, ao conquistar, na primeira época, a Taça de Portugal, oito anos depois, e, na segunda, o campeonato, 11 anos volvidos.

A fase se grupos foi introduzida na principal competição de clubes em 1991/92: era apenas para oito, mas o Benfica conseguiu lá chegar, ao superar os modestos malteses do Hamrun Spartans, com um total de 10-0 (6-0 em casa e 4-0 fora, com cinco golos do internacional russo Yuran), e os ‘gigantes’ ingleses do Arsenal.

Face aos ‘gunners’, brilhou intensamente o brasileiro Isaías, com um golo na Luz (1-1), e dois no ‘desaparecido’ Highbury, onde o Benfica triunfo por 3-1, após prolongamento, também com um tento do médio russo Kulkov.

Em 1998/98, os embates de acesso à ‘Champions’ já se designavam por pré-eliminatórias e o Benfica qualificou-se, ao ultrapassar sem problemas a segunda, que resolveu na primeira mão, com um 6-0 aos israelitas do Beitar. Em Jerusalém, perdeu por 4-2.

O regresso, em 2003/2004, foi falhado, face à Lazio, com o Benfica a perder por 3-1 em Roma, na primeira mão da terceira pré-eliminatória, e por 1-0 no Bessa, a casa emprestada, face às obras na Luz, com vista ao Euro2004.

Na época seguinte, já na nova casa, os ‘encarnados’ começaram bem, ao baterem o Anderlecht por 1-0, com um tento do esloveno Zahovic, mas, em Bruxelas, foram ‘dizimados’ pelos belgas, que ganharam por 3-0. Foi a última eliminação.

Dois anos depois, em 2006/07, o adversário foi o Austria Viena e o Benfica não teve dificuldades em chegar à fase de grupos, ao empatar 1-1 na capital austríaca, onde Nuno Gomes marcou de calcanhar, à Madjer, e vencer em casa por 3-0.

Em 2007/08, o FC Copenhaga também não teve hipóteses, com os ‘encarnados’ a triunfarem em casa por 2-1, graças a um ‘bis’ de ‘sua alteza’ Rui Costa, e fora por 1-0, com um tento do grego Konstantinos Katsouranis.

A última presença em pré-eliminatórias, em 2011/12, também foi bem-sucedida, com o Benfica a derrubar dois adversários, os turcos do Trabzonspor e os holandeses do Twente.

Na terceira pré-eliminatória, brilhou Nolito, com um golo em Lisboa (2-0) e outro na Turquia (1-1), e, no ‘play-off’, destacou-se o belga Witsel, com um ‘bis’ na segunda mão, em Lisboa (3-1), depois de um empate a dois na Holanda.

Sete anos depois, o Benfica volta a jogar a presença numa fase de grupos em duas eliminatórias, a primeira também com um conjunto turco, agora o Fenerbahçe, formação que os ‘encarnados’ já fizeram cair duas vezes na Europa.

O conjunto da Luz chega a este confronto com um saldo positivo no acesso à ‘Champions’, que é extensivo ao futebol português, já que, em 33 eliminatórias, os clubes lusos seguiram em frente 23 vezes e só caíram em 10 ocasiões.

O FC Porto, com oito apuramentos e apenas uma eliminação, curiosamente também com o Anderlecht (em 2000/01), é o clube que mais contribuiu, seguido do Benfica e do Sporting de Braga, que, em três ocasiões, conseguiu sempre qualificar-se.

Com dois apuramentos e uma eliminação, o Boavista é a outra equipa lusa com saldo positivo.

Por seu lado, o Sporting já somou três qualificações, a última a época passada, face aos romenos do Steaua (0-0 em casa e 5-1 fora), mas face a quatro eliminações, enquanto o Vitória de Guimarães e o Paços de Ferreira ‘tombaram’ na única presença.
*Artigo publicado originalmente no dia 5 de agosto

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.