O Benfica tem o pleno de apuramentos nos confrontos com o Fenerbahçe, formação turca que afastou na primeira eliminatória da Taça dos Campeões de futebol de 1975/76.

O Benfica tem o pleno de apuramentos nos confrontos com o Fenerbahçe, formação turca que afastou na primeira eliminatória da Taça dos Campeões de futebol de 1975/76 e, mais recentemente, nas meias-finais da Liga Europa de 2012/13.

Há 43 anos, os ‘encarnados’ resolveram o confronto logo na primeira mão, na antiga Luz, ao golearem por 7-0, para depois, num jogo para ‘cumprir calendário’, perderem na Turquia por 1-0.

No segundo duelo, volvidos 37 anos, o Benfica voltou a perder fora pelo mesmo resultado, agora na primeira mão, para dar a volta à eliminatória na Luz, com um triunfo por 3-1, que valeu um lugar na final de Amesterdão.

No primeiro embate, a 17 de setembro de 1975, os ‘encarnados’, comandados de Mário Wilson, escreveram uma das mais robustas vitórias da sua história europeia, ao baterem os turcos por sete golos sem resposta.

Jordão, autor de um ‘hat-trick’ na segunda parte, com golos aos 60, 75 e 84 minutos, foi a grande figura do encontro, secundado por Nené, que ‘bisou’ (37 e 72). Também marcaram Shéu (22) e Sabahattin Erboga, na própria baliza (43).

Na segunda mão, os turcos venceram por 1-0, graças a um tento de Engin Verel, aos 75 minutos.

Em 2012/13, a eliminatória começou em Istambul e os turcos voltaram a ganhar em casa por 1-0, também com um golo apontado na segunda parte, aos 71 minutos, por Egemen Korkmaz.

Na segunda mão, na Luz, a 02 de maio de 2013, o argentino Nicolás Gaitán igualou o confronto logo aos nove minutos, mas, aos 23, holandês Dirk Kuyt empatou, na transformação de uma grande penalidade, colocando os turcos na frente da eliminatória.

O ‘onze’ de Jorge Jesus ficou a dois golos do apuramento e conseguiu marcá-los, obra do melhor marcador estrangeiro de sempre do clube, o paraguaio Óscar Cardozo, que ‘bisou’, com um tento na primeira parte, aos 35, e outro na segunda, aos 66.

Em relação a esse encontro, André Almeida e Luisão, no Benfica, e o guarda-redes Volkan Demirel, nos turcos, são os jogadores que permanecem nos respetivos planteis.

*Artigo publicado originalmente no dia 5 de agosto de 2018

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.