Depois de ter triunfado na primeira mão por 2-0, o Liverpool voltou a vencer o Villarreal, desta vez por 3-2, na meia-final da Liga dos Campeões e garantiu a primeira vaga na final da prova milionária.

O marcador foi inaugurado bem cedo no Estadio de la Cerámica. Logo aos três minutos de jogo, depois de um cruzamento à esquerda batido por Pervis Estupiñán, Boulaye Dia colocou os espanhóis em vantagem na resposta a um passe curto de Étienne Capoue na pequena área.

Mesmo depois do golo, o Liverpool mostrou dificuldades em reagir e foi o Villarreal quem se foi aproximando da baliza adversária. Aos 12 minutos, Parejo esteve perto de aumentar a vantagem do Submarino Amarelo, mas bola saiu a rasar o poste.

Aos 37 minutos a equipa do Villarreal ficou a reclamar um penálti sobre Lo Celso. O médio argentino surgiu na cara do guarda-redes Allison, que conseguiu a defesa, embora tenha derrubado o jogador do emblema espanhol. Apesar das queixas da equipa da casa, o árbitro Danny Makkelie mandou seguir.

A equipa de Jurgen Klopp cometeu vários erros, que foram prontamente aproveitados pela equipa espanhola. Com pouca bola, os reds não conseguiram criar oportunidades efetivas de golo durante a primeira parte e acabaram mesmo por ver o Villarreal empatar a eliminatória ainda antes do intervalo.

Pau Torres lançou Étienne Capoue, que depois de um mau domínio conseguiu livrar-se da desmarcação de Andy Robertson e cruzar para a Francis Coquelin. Ao segundo poste, o francês subiu às alturas e atirou de cabeça para o fundo da baliza do Liverpool.

Para o arranque da segunda parte, Jurgen Klopp tirou o internacional português Diogo Jota, que tinha sido titular, para lançar o ex-FC Porto Luis Díaz. Além da alteração, o Liverpool encarou o segundo tempo de forma completamente do primeiro e rapidamente tomou as rédeas do encontro.

Aos 60 minutos, os ingleses recuperaram a vantagem da eliminatória com um golo de Fabinho. Depois de uma combinação com o Mohamed Salah, o brasileiro rematou para o fundo da baliza dos espanhóis.

Apenas sete minutos depois, os reds fizeram o segundo e 'mataram' a eliminatória. Alexander-Arnold cruzou para Luis Díaz, que cabeceou para o golo. Tal como já tinha acontecido no primeiro golo, o guarda-redes Rulli ficou mal na fotografia.

Imparável, o Liverpool ainda marcou o terceiro, aos 74 minutos. Com Rulli saído da baliza, Sadio Mané livrou-se do guarda-redes, deixou Foyth para trás e atirou para o fundo da baliza vazia.

Ainda antes do apito final, Étienne Capoue derrubou Alexander-Arnold fora de tempo, viu o segundo cartão amarelo e deixou o Villarreal reduzido a dez unidades.

Seis vezes campeão europeu, a última em 2018/19, o Liverpool chega pela 10.ª vez à final da principal competição europeia de clubes.

Na final, marcada para 28 de maio, em Paris, o Liverpool vai defrontar o Real Madrid ou o Manchester City, que se defrontam na quarta-feira, em Madrid, com os ingleses a terem uma vantagem de 4-3.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.