O Liverpool, campeão em 2019 de uma Champions inesquecível pelas várias reviravoltas espetaculares, tem como objetivo repetir o título na final em Istambul, onde ergueu o troféu continental em 2005, enquanto Real Madrid e Barcelona procuram retomar a coroa europeia.

Os Reds, que também vencerem a Supertaça Europeia na cidade turca, querem voltar ao estádio olímpico Atatürk em 30 de maio de 2020.

Em 2005, o gigante inglês viveu nesse mesmo estádio um de seus grandes dias, quando foi capaz de superar o Milan com uma recuperação incrível após começar perdendo por 3-0 (3-3, 3-2 nos penáltis), numa façanha que até hoje é conhecida como 'O milagre de Istambul'.

"Temos o peso da história de fazer isso novamente. É um objetivo, mas será difícil", afirmou Jurgen Klopp, técnico do Liverpool, depois de conquistar o quinto título europeu do clube em junho em Madrid, onde derrotou na final o Tottenham.

O técnico alemão, que procura alcançar a sua terceira final consecutiva de Champions - derrotado em 2018 pelo Real Madrid - terá uma longa lista de rivais de peso, começando pelos gigantes espanhóis e pelas outras potências da Premier League.

O regresso de Zidane

O Real Madrid contará com o regresso de Zinedine Zidane, o homem das três Champions consecutivas (2016, 2017, 2018), trazido de volta no fim do ano passado para tentar salvar uma temporada catastrófica. A direção merengue investiu 300 milhões de euros em contratações para reforçar o plantel e voltar a lutar por títulos.

A nova estrela do Real é o belga Eden Hazard, que voltou a jogar alguns minutos no fim de semana após recuperar de lesão. Já os velhos conhecidos Gareth Bale e James Rodríguez querem tornar-se referências na equipa nesta nova etapa do clube.

O Real Madrid estreia-se na Champions nesta quarta-feira no Parque do Príncipes contra um Paris Saint-Germain que, mais uma vez, tem como objetivo o título europeu após mais uma temporada decepcionante a nível continental. No ano passado, o peso pesado francês foi eliminado nos oitavos de final de maneira cruel pelo Manchester United com um penálti nos descontos.

Nestas primeiras semanas de competição, o PSG não pode contar com Kylian Mbappé e Edinson Cavani, lesionados, enquanto Neymar está suspenso nas três primeiras rondas da Champions, um verdadeiro quebra-cabeça para o técnico Thomas Tuchel, que deverá apostar no seu novo jogador, o atacante argentino Mauro Icardi, recém-emprestado pela Inter de Milão.

Messi contra Ronaldo, o duelo eterno

E, como a cada ano, o duelo à distância entre Lionel Messi e Cristiano Ronaldo, que dominam o continente há uma década, será uma grande atração.

CR7, artilheiro histórico da competição, procura erguer a 'Orelhuda' com um terceiro clube diferente, após ganhar a Champions uma vez com o Manchester United e quatro com o Real Madrid.

Já Messi vai apoiar-se nos seus novos companheiros, Antoine Griezmann e Frenkie de Jong, para tentar vencer a Champions pela primeira vez desde 2015, deixando para trás as enormes decepções nas últimas duas edições, eliminado pela Roma em 2018 e pelo Liverpool em 2019.

O Manchester City de Pep Guardiola, campeão das duas últimas Premier League, tentará transferir o seu domínio nacional para a Champions, enquanto um Bayern de Munique em reconstrução e com Philippe Coutinho quer testar o seu atual nível.

Tottenham, Chelsea, Atlético de Madrid, Nápoles, Inter, Borussia Dortmund e Ajax, grande surpresa da última temporada, quando chegou às meias-finais, também aspiram uma vaga na final em Istambul.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.