O Shakhtar Donetsk, treinado pelo português Luís Castro, viveu esta noite um autêntico pesadelo na receção ao Borussia Mönchengladbach, em partida a contar para a 3.ª jornada do Grupo C da Liga dos Campeões, ao ver-se goleado por 6-0 pelo conjunto alemão.

Luís Castro tinha referido, na conferência de imprensa de antevisão da partida, que o "mundo estava estranho" em tempos de COVID-19. Mas nada fazia prever que o Shakhtar sofresse tal descalabro, ainda para mais numa fase de grupos da Liga dos Campeões em que arrancou com um extraordinário triunfo no terreno do Real Madrid.

Mas foi mesmo o que aconteceu. O triunfo do Borussia Mönchengladbach, com seis golos sem resposta, começou a desenhar-se logo aos aos oito minutos, com Alassane Plea a inaugurar o marcador para os visitantes. Um autogolo de Valerii Bondar ampliou a vantagem aos 17 e aos 26 chegou o 3-0, assinado por Alassane Plea. À beira do intervalo a catástrofe agravou-se, com o 4-0, da autoria de Ramy Bensebaini.

Abalado pelo avolumar do resultado, a equipa ucraniana foi incapaz de reagir no segundo tempo e ainda sofreu mais dois golos. Lars Stindl fez o 5-0 e Alassane Plea fechou, à entrada para o quarto de hora final, o resultado em 6-0 para o conjunto germânico.

Com este resultado, o Shakhtar, que depois da vitória em Madrid tinha empatado em casa com o Inter, mantém os quatro pontos e vê-se ultrapassado na liderança do Grupo B pelo Borussia Mönchengladbach, que depois de dois empates nas duas primeiras jornadas somou, de forma categórica, a primeira vitória, chegando aos cinco pontos. Real Madrid, com um ponto, e Inter, com dois, medem forças a partir das 20h00 no outro encontro da 3.ª jornada do grupo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.