Pierre Webo, membro da equipa técnica do Basaksehir, falou pela primeira vez sobre o episódio de alegado racismo do quarto árbitro no jogo com o PSG, da sexta jornada da Liga dos Campeões, que levou à sua interrupção.

"Penso que ele ultrapassou os limites no que diz respeito aos valores da UEFA", disse o antigo futebolista, citado pela Sky Sports, referindo-se ao romeno Ovidiu Hategan.

Webo agradeceu ainda o apoio recebido na sequência desse episódio: "Quero agradecer a todos os que me apoiaram no dia 8 de dezembro. Quero dizer obrigado ao senhor presidente [Goksel Gumusdag) do presidente Recep Tayyip Erdogan, que foi um dos meus pilares neste momento difícil. Foi um dia com um antes e um depois."

O incidente ocorreu quando o quarto árbitro deu sinal ao árbitro principal, o compatriota Ovidiu Hategan, para expulsar o treinador adjunto do Basaksehir Pierre Webo, tendo-se este queixado que Coltescu utilizou a expressão “negro”, recusando-se a sair do campo.

Após vários minutos, o 'staff' da equipa turca e os jogadores, seguidos pelos do PSG, decidiram abandonar o relvado, numa altura em que o jogo estava empatado 0-0 e o presidente do clube turco, Göksel Gümüsdag, disse que os jogadores só voltariam ao terreno de jogo se Coltescu não voltasse.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.