O presidente da Roma, o norte-americano James Pallotta, disse hoje que não só pagará a multa por ter mergulhado na fonte da Piazza del Popolo, como doará 230 mil euros para renovação de monumentos.

O dirigente já tinha concordado em pagar uma multa por ter saltado de costas, vestido, para a fonte, cercado por uma multidão de adeptos, após a Roma eliminar o FC Barcelona nos quartos de final da Liga dos Campeões de futebol.

Um gesto proibido em Roma, onde as multas por ‘mergulhos’ em fontes históricas chegam aos 500 euros, de modo a dissuadir os infratores, muitas vezes turistas, que procuram as fontes para se refrescarem ou replicarem cenas do filme ‘La Dolce Vita’, realizado por Federico Fellini.

Hoje, James Pallota não só apresentou desculpas à presidente da câmara de Roma, Virginia Raggi, assegurando que pagará a multa, como fez saber que doará mais de duas centenas de milhares de euros para obras.

“Quis agradecer à presidente pela minha merecida multa. Fui apanhado no entusiasmo do momento, foi uma grande noite para todos nós em Roma”, começou por dizer Pallota, pedindo para que não sigam o seu exemplo.

Depois, o norte-americano anunciou o donativo ao município, para renovação da fonte da Piazza della Rotonda, do Panteão, tendo em conta que os leões da fonte na Piazza del Popolo foram restaurados em 2015, por 315 mil euros.

O gesto do dirigente, com o mergulho, mereceu algumas críticas da comunidade romana, como um mau exemplo para os adeptos, lembrando que em 2015 centenas de adeptos do Feyenoord danificaram a fonte ‘della Barcaccia’, na Piazza di Spagna.

A Roma venceu na terça-feira à noite o FC Barcelona, por 3-0, apurando-se para as meias-finais da Liga dos Campeões, pela primeira vez desde 1983/84.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.