Kardec, aos 20 minutos, Fábio Coentrão, aos 31’ e Javi Garcia, aos 43’, colocam o Benfica em vantagem sobre o Lyon e renovam a esperança dos encarnados de continuar na Liga dos Campeões.

Sem brilhar, longe disso, o Benfica não desperdiçou duas boas oportunidades de golo, mas logo nos minutos iniciais a Luz gelou. Briand colocou a bola por duas vezes dentro da baliza de Roberto (3’ e 10’), em fora de jogo, mas de anotar os erros defensivos que permitiram aos franceses, com muita facilidade, chegar à grande área adversária.

A equipa de Jorge Jesus foi tentando chegar ao golo e o primeiro surgiu dos pés de Alan Kardec, talismã nos jogos contra equipas gaulesas – foi dele o golo dele frente ao Marselha que permitiu ao Benfica chegar aos quartos da Liga Europa na época transacta. Livre de Carlos Martins na direita, para o camisola 31, dentro da grande área, cabecear perfeito.

Dois minutos antes, Coentrão tinha ameaçado, numa bela jogada individual a finalizar em trivela, com a bola a passar por cima da baliza.

O segundo tento surgiu aos 31’, numa grande jogada de contra-ataque, exemplarmente conduzida por Salvio, substituto de Aimar ainda antes do inicio do jogo, que abriu bem para Martins. Sem egoísmos, esperou por Coentrão e com um cruzamento milimétrico, deu o golo ao esquerdinjo.

Aos 43’, Javi Garcia deu o melhor seguimento possível ao canto marcado por Martins e coloca o Benfica a vencer por 3-0.

Sem a casa muito cheia, o 3-0 faz o público vibrar na Luz.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.