O treinador do Benfica, Roger Schmidt, fez esta tarde a antevisão da partida de quarta-feira, no Estádio da Luz, diante do Inter de Milão, relativo à quinta jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões.

Já afastado dos oitavos de final, o técnico dos encarnados joga as fichas todas na Liga Europa; para tal as águias terão de vencer um adversário que, segundo Schmidt, é uma das melhores equipas europeias da atualidade.

Que Inter terão pela frente?: "Não sabemos qual será a abordagem do Inter, mas já estão qualificados para a próxima fase. Todos sabemos que é muito diferente ser primeiro ou segundo no grupo, por isso, ainda têm os seus objetivos na Liga dos Campeões. No final, tentamos focar-nos em nós mesmos. Não estamos satisfeitos com a situação. Amanhã, é uma oportunidade para ganhar um grande jogo contra o Inter. Para mim, é uma das melhores equipas, neste momento, na Europa. É uma das equipas que pode chegar longe na Liga dos Campeões, este ano. É uma boa oportunidade para darmos continuidade ao que fizemos nos dois últimos jogos. Estamos confiantes. Amanhã, queremos dar mais um passo, fazer um bom jogo e vencer"

Deceção de Rui Costa com a 'Champions': "Perdemos Grimaldo e Gonçalo Ramos, assim como Enzo Fernández. Não nos podemos esquecer dele. Os novos jogadores precisam de tempo para se adaptarem. Tivemos lesões, e, no primeiro jogo da Liga dos Campeões, começámos com um penálti e um cartão vermelho ao fim de oito minutos. Não foi o início perfeito. Depois, cada jogo teve a sua história, mas é passado. Já não devemos pensar nisso. Ao mais alto nível, por vezes, os pequenos erros são decisivos, e, na fase de grupos, podes encontrar-te numa fase como a que estamos agora. É muito claro que, agora, queremos apurar-nos para a Liga Europa. Os quatro jogos anteriores são história"

Regresso de Kokçu: "Jogámos com o Florentino e o João Neves porque têm estado muito bem. Gostei da maneira como Morato jogou a lateral. Este sistema deu-nos estabilidade em jogos difíceis, e o comportamento tático da equipa, nos últimos jogos, foi bom. Demonstrámos coisas que demonstrámos na temporada passada, e, agora, temos de continuar. O Orkun está de volta, mas ainda não a 100%. Já jogou alguns minutos, e agora, temos de aproveitar todos os jogos para trabalhar na relação entre os jogadores em campo. Queremos acreditar em nós mesmos e praticar o nosso futebol, mesmo contra uma equipa forte como a do Inter. Sem acreditar, não temos hipóteses"

Jurassék perdeu a titularidade: "O David teve um bom início, mas lesionou-se e esteve fora durante algumas semanas. Não está na melhor forma neste momento, mas é normal que jogadores que chegam ao Benfica de um campeonato menor precisem de tempo para se adaptarem. Aconteceu no ano passado, com Alexander Bah, que não jogou ao início, precisou de tempo, e, no final, era titular pelo Benfica. Esperamos o mesmo de todos os jogadores que chegam ao Benfica. Damos-lhe tempo para se adaptarem e alcançarem a melhor forma.. É por isso que estou tranquilo e lhe dou todo o apoio de que precisa para que se torne num jogador de topo"

Musa, Cabral ou Tegnsted?: "Para ser avançado do Benfica, é preciso ter o pacote completo. Precisamos de um avançado que, taticamente, seja capaz de colocar tudo em prática, de estar envolvido na pressão alta, com e sem bola. Temos de ser agressivos sem bola, e, com ela, temos de demonstrar qualidade para combinar e chegar à área. Temos três avançados. Na minha opinião, todos têm espaço para evoluir e melhorar. Dou a todos os jogadores a oportunidade para o fazerem durante os jogos. Tento analisar o desempenho nos treinos. Se estão bem, têm a oportunidade de serem titulares consistentemente, mas, passo a passo. Todos os jogadores têm de melhorar"

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.