Sérgio Conceição analisou a derrota desta terça-feira em Montjuic diante do Barcelona por 2-1, resultado que permitiu aos catalães assegurarem a passagem aos oitavos de final da Liga dos Campeões, ao mesmo tempo que adiou para a última ronda a decisão quanto à equipa que lhe fará companhia.

O treinador dos dragões identificou claramente o que faltou à sua equipa para sair da Catalunha com outro resultado; contudo, Conceição não deixou de elogiar a entrega dos seus jogadores.

"Faltou fazer golos e não sofrer. Acho que no geral foi bom jogo da nossa parte, jogámos com personalidade e carácter. Entrámos de forma algo tímida até aos 15 minutos. Depois conseguimos crescer, criar oportunidades, marcámos e na bola de saída sofremos. Naquilo que tínhamos trabalhado... Na nossa organização defensiva, tivemos capacidade de bloquear o jogo interior do Barcelona, mas não fomos tão eficazes na forma mais direta. Por fora, com o Raphinha, Félix e Cancelo, era aí que eles criavam e foi aí que acabámos por perder o jogo, com uma entrada menos boa na segunda parte. Depois, criámos oportunidades, podíamos ter empatado o jogo, mas dou os parabéns aos meus jogadores pelo carácter e pela forma como se entregaram ao jogo", começou por dizer Sérgio Conceição aos microfones da DAZN.

Apesar das palavras de apreço à sua equipa, Sérgio Conceição sublinhou que a boa exibição dos azuis e brancos não disfarça o sabor amargo da derrota.

"Agridoce? Fica agreste. Não doce. Não gosto de vitórias morais. Aliás, não faz parte do nosso ADN. Trabalhámos para sair daqui com pelo menos o empate. O Barcelona fez um bom jogo, percebeu com criar dificuldades. Nós fomos limitando o poderio, criámos as nossas oportunidades, com qualidade do nosso processo ofensivo. No último terço, definindo melhor, o resultado podia ter sido outro. Não digo ganhar, mas perder não perdíamos", enfatizou o treinador portista.

Apesar do jogo diante do Shakthar ser de caráter decisivo, o técnico dos azuis e brancos só pensa no Famalicão, próximo adversário do FC Porto no campeonato.

"Agora pensamos no Famalicão. Vamos chegar às 3 da manhã. Temos treino 4.ª e 5.ª, 6ª vamos para estágio em Famalicão. Esta é a nossa vida. A equipa vai ganhando algum traquejo, mas nós somos um clube histórico, dos que tem mais presenças nesta competição. Mas há muitos jogadores que começam a perceber que os mínimos detalhes resolvem jogos destes", concluiu.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.